Post guia – Sudeste Asiático

2 08 2015

Este é um post referência pra linkar tudo que foi escrito aqui sobre viagem Para o Sudeste Asiático. No caso: Tailandia, Camboja e Vietnam.

Phi Phi Island – Uma das pérolas no mar da Tailandia

O templo branco – Wat At Rong Khun – Chiang Rai, Tailandia

Angkor – Siem-Reap Camboja

Ha-long-bay – Vietnam

Hanoi – capital do Vietnam

Bangkok – Tailandia – basico pra turistas

 





O templo Branco – Wat At Rong Khun – Chiang Rai – Tailandia

16 07 2015

O templo branco é uma das construções mais famosas e significativas do norte da Tailandia. Localizado na cidade de Chiang Rai, a cerca de 200 km da famosa cidade de Chiang Mai, o Wat At Rong Khun conseguiu o que o seu criador queria, tanto espiritualmente, passando pela valorização da arte tradicional tailandesa, quanto atrair milhares de visitantes todo ano.

Templo Branco, Chiang Rai, Tailandia

O templo Branco, Wat At Rong Khun, em Chiang Rai, Tailandia.

O ambicioso projeto é do artista Ajarn Chalermchai Kositpipat, que tinha como objetivo construir o mais bonito dos templos, que representasse a moderna/tradicional arte religiosa tailandesa, e. segundo suas próprias palavras, para rivalizar com o Taj Mahal e Angkor.

Aluno da universidade deSilpakorn, onde estudou extensivamente arte ocidental, Chalermchai passou a sentir “tédio” de acordo com que avançava seus estudos. Foi ai que ele começou a se aprofundar nos estudos da arte tailandesa, ramo pouco popular entre os estudantes, que consideram algo ultrapassado. Este foi um dos estimulos/desafio: valorizar e renovar a arte tradicional tailandesa.

Para ele, o templo é o ponto alto da sua arte. Junto com mais de 80 pupilos, aos poucos ele vai desenvolvendo o complexo, que conta com o “mais luxuoso banheiro do mundo”!

A simbologia budista é misturada com icones da cultura popular.A entradado templo é um mar de problemas, com diversas mãos e demonios de boca aberta tentando impedir a entrada. De acordo com o avanço pela ponte, a pessoa deixa os problemas para tras e passa a encontrar imagens que remetem aos conflitos internos.

bustos de personagens de filmes pendurados no jardim do templo branco

Bustos de personagens da cultura pop ocidental penduradas numa arvore

Budha é retratado em luta com Mara, e em muitos pontos épossivel ver os demonios combatendo utilizando armas modernas, como metralhadoras. Uma figura muito famosa é um demonio com uma imagem de Osama Bin laden e George Bush nos olhos. Chalermchai diz que isto é um alerta para a questão de que temos de olhar e perceber que segregar sempre leva a destruição, e q pessoas pacificas não querem nem a destruição dos islamicos, nem da america. Em outras gravuras famosas, são representados icones como Ultraman, Superman, o alien, etc.

O templo é branco para, alem de diferencia-lo do dourado dos outros templos que Chalermchai considera um sinal de luxuria, remeter a paz e pureza de espirito e intenção que são valores budistas. mas isso tb gera problemas de manutenção, então são feitas 3 limpezas anuais, um durante o ano novo tailandes, após a época de chuvas e antes do inverno.

Outra obra relevante de Chalermchai em Chiang Rai é o relogio dourado. Feito em substituição a um outro relógio que atualmente está localizado próximo do mercado, esta obra abriga tambem atividades culturais 2 vezes por dia e pode enriquecer quem vem em tour de apenas um dia.

O passeio

Em Chiang Mai é muito facil contratar um serviço de tour para o wat At Rong Khun, tanto em onibus com uma turma quanto em carro privado. Normalmente os passeios em grupos param em locais com aguas termais, que achamos desinteressantes, então optamos por um carro particular que nos levou e nos trouxe.

Portanto, não conheço muita coisa por lá, então deixou uma seleção de blogs q usei como referência para a minha viagem e q podem ajudar vcs!

vontade de viajar – o templo branco

vo ali – o que fazer em chiang rai

quero viajar mais – guia de Chiang Rai

No vídeo da Exposa Travel, temos 25 minutos de imagens fantasticas e locais excelentes de Chiang Mai, o que pode ajudar mto.

Quer saber mais sobre o sudeste asiático? Clique aqui e acesse todos os posts sobre esta área do mundo.





Phi Phi Island – Uma das pérolas no mar da Tailandia

25 05 2015

Phi Phi é uma dos mais bonitos e interessantes arquipélagos da Tailândia, a ponto de algumas praias terem sido utilizadas para imagens de filmes hollywoodianos. Em koh Phi Phi Leh, área de proteção ambiental, foi gravado o filme “a ilha”, com Leonardo DiCaprio.

A ilha principal se chama Phi Phi Don, possui um formato semelhante a uma borboleta (depois de vc pisar nela e fumar mto crack, vc enxergará claramente isso), sendo q a parte que une as asas é onde fica a maior parte da hospedagem e da cidade.

Para chegar lá

A melhor forma de chegar em koh PhiPhi, ou qquer ilha da Tailândia, é comprar um pacote numa agência de turismo em Bangkok. Tem uma caceteda pelo centro, especialmente em Khao San Road, onde o nosso hotel nos indicou. Não costuma ser um grande problema, mas é bom adquirir as passagens com antecedencia pra garantir que vc não irá ter problemas, especialmente se tiver hospedagem marcada ou outros compromissos.

Nestes pacotes geralmente estão inclusos ticket de onibus que vai te levar pra um dos portos de onde saem embarcações para as ilhas, seja koh Phangan, Phi Phi, Samui… O mesmo trajeto pode ser feito via trem, mas eu não fiz então não tenho muita ideia. Embarcações para Phi Phi partem de Phucket e de Krabi, entre outros (poucos) destinos.

Pra pegar o busão não tem erro, é so chegar no horário e fazer o check in, isso vai estar bem explicado. A questão maior é quanto vc desembarca no local onde rola a baldeação para o barco.

Nisso começa um problema chato. Especialmente qdo vc chega de noite, não tem NADA de informação. Eles te soltam durante a madrugada num estacionamento, obviamente no final dele é onde ocorre o embarque, mas… fodam-se vcs. Vai ficar esperando o embarque sem informação e se reclamar vai ficar mais confuso ainda.

A real é q não tem segredo. Aproveite a espera, coma alguma coisa nas lojas de conveniência, e relaxe um pouco. Leia, ouça musica… sei la. Vc vai ver a movimentação maluca pra fazer o check in e é basicamente isto q vc precisa. E nao precisa cada um fazer o seu check in, va um so com todos os comprovantes dos amiguinhos e faça sozinho. Relaxe e so fique esperto na movimentação do q importa: o lugar do check in e o lugar do embarque propriamente dito.

Depois do check in, existem duas opções, é legal vc saber de antemão como vai rolar pra estar preparado:

– Vão chamar todo mundo, pq é tipo uma linha de barcos q vai pingando de ilha em ilha.

– Vão chamar pelo horário do barco, q vai direto pro lugar.

A primeira opção vão dar pras pessoas uns adesivos coloridos de acordo com o destino. Em geral é um barco absurdamente gigante com capacidade pra centenas de pessoas. Neste caso, ao embarcar já veja com a tripulação se tem sala vip, onde vc paga um valorzinho a mais e vai numa poltrona legal, numa área onde o barco não pula mto, com tv, e espaço pra vc tirar um cochilo do bom.

Se for embarque por horário, pode dar merda caso alguem atrase. Fiquei esperando tipo umas 3 horas, pq pela falta de comunicação, não nos levaram pro lugar correto, atrasamos e tivemos de esperar tipo um barco extra pra ir pra la. Nisto recomendo q vc não aceite apenas a palavra de um dos “guias”. Va conversando com todos, pq em alguns lugares a desorganização é DOSE. Ao mesmo tempo, pode ser q cada um te de uma opção, ai vc vai ficar confuso. Hehe!

Pelo atraso, foram umas 3 horas a mais. Ia saindo barco lotado sem lugar pra nossa turma e a gente precisava esperar. E não adianta reclamar, ameaçar, dizer q é advogado… eles cagam pra vc. E se vc estiver com isso em mente e aceitar seu destino mais suavemente, irá ser melhor.

A ilha 

A primeira coisa q notei é q o que mais tem nessa ilha é gringo que trabalha parte do período para continuar sua estadia. E existem diversas opções. Se vc é dive master, se vc tem qquer tipo de caracteristica diferencial, até mesmo se vc fala PORTUGUES (tem brasileiro e português pra cacete por lá), vc consegue descolar um empreguinho de meio perioso.

A segunda coisa q vc vai notar é isto aqui:

long tail boat em maya bay

Foto cliche de um dos lugares mais fantásticos do mundo!

Ou seja: relax. vc está numa das ilhas mais fantasticas do mundo.

Uma coisa q é bom pra uns, mas é péssimo para outros é q a ilha ta praticamente uma Ibiza. A noite rola balada ate altas horas da madrugada com direito td q vc estiver afim. Na minha opinião isso é bem triste por que a ilha tem mto mais jeito pra um resort paradisiaco com natureza abundante, do que um espaço pra hippie vagabundo pirar nas drogas ou molecada europeia descobrir o mundo (q é basicamente o q acontece la, mtos jovens querendo mta balada).

Ok o cara pirar nas dorgas, problema dele. SO QUE NÃO FICA JOGANDO VIDRO NA PRAIA, PORRA. Tem muito vidro pelas praias. MUITO. Tanto q eu desisti de recolher. Felizmente a areia lá é bem grossa e acaba dando rapidamente uma boa lixada nas faces cortantes e não rolam mtos acidentes. Não descuide do chinelo e divirta-se!

Muito vidro na areia de Koh Phi Phi

A inteligencia humana tem limites. A estupidez NÃO. Cuidado com os pés em Koh Phi Phi Don.

A vantagem é q vc consegue sim sair desta região (Loh Dalum bay e Ton Sai bay) q concentra brutalmente as festas e é onde provavelmente as pessoas ficarão hospedadas em sua maioria (pq a hospedagem fora deste espaço tende a ser cara. REALMENTE cara.). E a melhor parte está justamente fora deste centro. Tanto em hospedagem quanto em maravilhas naturais.

Com a ajuda de um taxi boat, q não é la muito caro, vc tem acesso as outras praias mais “remotas” que da um trampo pra vc chegar de outra forma. Se vc quiser voltar, é mto simples. Vá ate a praia e pegue um barco de volta! Porem rola um probleminha importante: vc tem q sair ANTES de chegar a maré baixa, pq nesse momento começa a dar trabalho de arrumar um taxi, pq tem q ser um q esteja mais ou menos disponivel numa área navegavel.

O q eu fazia, e funcionava mto bem, era descer em uma praia, ia andando pela trilha que liga as praias, o que te dá acesso a toda cidade. E na volta eu simplesmente seguia as placas que levam a Ton Sai Bay. O “problema” é q de loh lanna pra ton say bay a parada é meio fechada, a mata é meio complicada, mas nada q te deixe mto triste. So faça a trilha num horario com luz, pq tem porções ingremes e vc pode ter dificuldades no escuro.

Trilha que liga Ton say bay e Loh Lanna bay,

Para chegar em Ton Sai bay é so seguir a trilha!

Comida

Prepare-se para comer mal.não MUITO mal, mas aqui não tem NADA de muito interessante. Como a prevalencia de gringos é MUITO grande, tenta-se oferecer alimentos mais proximos dos que os “westerns” curtem. Isso significa q vc vai ver muito mais “barbecue” e “pizza”. Mas isso não é bom. A qualidade do trigo é péssima em toda a extensão do país, o que se reflete na qualidade do alimento final. Nao é podre, que vai te deixar doente, nem nada. So fica longe do que vai agradar ao paladar.

A base geral da alimentação no oriente é ARROZ. A base proteica da alimentação no oriente é pato e frango. Obviamente, a produção do trigo, laticionios e da carne bovina ficam um tanto prejudicadas. Sem contar que uma pizza ou um churrasco é mais caro do que um bom pad thai. Se é só pra matar a fome, manda ver em qquer coisa. Se é vc faz questão q seja minimamente aprasivel ao paladar, restrinja-se a pratos locais. Isto vale para todo o oriente, mas é especialmente verdade aqui.

Outra questão importante é quanto a hidratação. Eu particularmente consumia shakes de fruta direto. Obviamente o uso de água não tratada pode te trazer coisinhas desagradaveis como vermes e colera, mas… eu assumi o risco. A real é q é bem dificil vc avaliar se rola manipulação da comida com minimo de higiene, pq lá o movimento é bem grande e por isso o pessoal ja deixa tudo no jeito pra preparar os shakes. Se vc levar um cloro e aplicar na sua bebida, é bom, mas… não garanto nada.

Fauna e Flora

Pra quem gosta de animais e curtem aquarismo, isto aqui é um paraíso. Nas praias é possível ver mtos peixes e outros seres vivos que vivem na área rochosa, bem como fazer um snorkeling sem compromisso. Da pra ver MUITAS espécies diferentes, tanto de peixes qto invertebrados.

Já na área de mergulho scuba e snorkeling propriamente dito, vc verá as mais diversas espécies que povoam o imaginário dos aquaristas, como Zanclus cornutus ou o cobiçado Ballistoides conspicillum (espécie q infelizmente n vi). Existem MUITOS points espalhados pelo arquipelago e não conheci nenhum q seja de menor “qualidade”. Vale comentar que os passeios para snorkeling geralmente incluem mascara e snorkell, porem poucos fornecem pés de pato.

Outro mergulho mto legal é o shark point, onde vc irá ver algum tubarão, dos pequenos aos grandes, mas normalmente animais com menos de 1,5 m. Neste ponto, os pacotes prometem avistar pelo menos um tubarão. Um ponto importante é q o mergulho ocorre apenas de maio a outubro, pq as correntes na área se tornam perigosas.

Pro pessoal que busca um passeio de nivel maior, existe a possibilidade de tentar a sorte pra encontrar um whale shark ou raia manta. A 65 km de phi phi, existe um ponto chamado Hin Daeng e Hin Muang, onde ocorrem muitos avistamentos de ambas espécies. Porém, 65km de speed boat é algo meio complicado, então o mar e o tempo tem de estar bem estável, e as vezes o passeio contratado pode ser cancelado no ultimo minuto.

Fora isso… tem a ilha dos macacos, q é bizarra, é um monte de macaco que rouba comida de todo mundo, com pessoas sem noção comendo e alimentando os animais. Bom pra passar raiva da falta de noção.

Passeios

Koh Phi Phi Leh – Maya bay – Um dos points q PRECISAM ser vistos. Um dos pontos únicos do mundo. tanto em relevo quanto em paisagem. Esta é a segundo maior ilha do arquipelago, localizada a 1,5km de koh phi phi don.

Nesta praia foi gravado o filme “a Ilha” com Leonardo diCaprio, o que levou a modificações na ilha que geraram danos permanentes para a natureza. Todo este espaço faz parte de um parque nacional. Qdo vc desembarca na praia, deve pagar uma taxa de conservação da area, q mantem banheiros e área de camping, q me parece q não podem mais serem utilizadas.

Antigamente era permitido um numero de acampamentos para  aqueles que querem curtir mais o espaço. Queria mto ter feito, pra ter uma longa exposição da praia com um ceu estrelado ou algo do tipo, mas fui informado que não é mais possível. Porém… verifique a possibilidade! Vai que…

Esta praia LOTA. Lota tipo balada fervente em SP. Por isso recomendo fortemente que se feche um barco que saia bem cedo (os “private” são bem flexíveis qto horário) acorde MTO cedo, tipo 6 da matina, e chegue antes das 7 lá. Só assim vc terá UM POUCO de paz neste lugar. Após as 9:30 começa a ficar MTO cheio.

Conhecendo a ilha a pé/de taxi boat – Reserve pelo menos dois dias para conhecer todas as praias da ilha. Não são muitas, as principais vc vai ver de longe, mas tem mtas q vc so vai descobrir perguntando pros locais como chegar. Ai vale uma conversa onde vc estiver hospedado ou uma boa memorização qdo vc estiver passeando em volta da ilha, pra lembrar do local, descreve-lo e conseguir orientação pra chegar la.

Durante o passeio pela estrada asfaltada vc irá encontrar diversos caminhos para mirantes, mas sempre obedeça uma regra principal: nunca suba durante o final da tarde. Pegar uma trilha ingrime no escuro é uma merda e caso vc tenha q pegar tb a trilha pra ton sai bay, é recomendavel q vc encontre algum lugar para passar a noite.

Vc irá encontrar alguns poucos pequenos bares e mercados em alguns pontos da caminhada, por isso leve uma garrafa de água, um pouquinho de comida, não precisa de nada pesado, e não se preocupe mto.

Os resorts tb merecem serem conhecidos, mesmo q de passagem.

View Point – Sim, é uma merda subir tudo aquilo a pé. Da mo trampo, é BEM ingrime, cansa. MAS EM COMPENSAÇÃO, a vista do por do sol é impressionante e IMPERDÍVEL.

Passeio de barco pela região – Existem DIVERSOS passeios de barco, private ou em grupos que pode circular pela região de Phi Phi don, e toda região do parque nacional e ir ate mais longe, caso seja combinado. O que eu recomendo é juntar um grupinho de umas 5-10 pessoas, q tenha afinidade, fechem um barco por um dia e saia por ai sem compromisso. Ai vcs entram e saem de cada lugar de acordo com sua vontade, fazem snorkelling o qto vcs quiserem, vão pra onde quiserem e bundam o quanto quiserem.

Só tenham em mente que existem as lanchas e existem os barquinhos “long tail”. Pra um grupo do tamanho q sugeri, um long tail é lento (ok… ele é lento normalmente, ate com uma so pessoa dentro), e é relativamente instavel. Por isso uma lancha pode trazer mais segurança, mais conforto, e mais tranquilidade, bem como uma geladeira cheia de liquidos.

Nas minhas frescuras de segurança, é ok ir de long tail de um lado pro outro da ilha, de uma baia ate a outra, porem é melhor evitar long tails em viagens mais longas. Não acho legal nem ir ate Phi Phi leh neles.

Quer saber mais sobre a região? Então clique aqui para acessar uma página com todos os links do blog relacionadas com viagens ao sudeste asiático.





Bangkok, Tailandia: básico pra turistas

14 05 2015

Uma das portas de entrada para o sudeste asiático é a cidade de Bangkok, capital da Tailandia, uma das maiores e mais populosa cidades do oriente. São dois aeroportos principais onde você pode desembarcar em voos internacionais “normais”, o aeroporto internacional Don Mueang ou o Suvarnabhumi, ambos servidos por linha de trem.

No meu caso optei por não utiliza-las no meu desembarque, preferi o serviço de taxi, por que a viagem foi muito cansativa e não estava muito disposto a pensar e cair em roubadas. Depois fui aprender que nao é um bicho de sete cabeças e q a malha ferroviária é bem simples. Apesar da dificuldade imposta pelo alfabeto, a grande maioria das placas tem tambem a “tradução” em inglês, ajudando muito. Outra boa noticia: em Bangkok a população fala razoavelmente bem inglês, portanto da pra se virar. Mas não se empolgue. Da pra se virar, nao pra manter uma comunicação excelente com a população.

Bangkok - Tailandia

Palácio Imperial

Um ponto importante a ser ressaltado é que o serviço de taxi no aeroporto é bem razoável. Você desembarca, pega uma fila (invariavelmente enorme) num ponto de taxi coletivo, onde vc mostra para o atendente pra onde vai, so então toma o taxi, evitando problemas com a língua. Apesar disso, estamos falando de uma cidade GIGANTE cheia de becos. Isso significa que sem um mapa, o taxista pode ter dificuldades de encontrar o endereço, ainda mais se não estiver escrito no alfabeto deles.

DICA PRECIOSA: sempre leve um impresso (ou escrito por algum local) com o endereço da sua hospedagem escrita no alfabeto tailandes.

E logo de inicio você vai notar que Bangkok é uma mistura única. Permeada de templos, com um rio navegável, apesar de bem sujo (meus companheiros de viagem apelidaram o passeio de barco pelo rio Chao Phraya de “role no esgoto”), e uma mistura impressionante de concreto, na sua melhor E pior acepção, com o tradicionalismo oriental.


42 segundos de Bangkok, só pra dar um gostinho!

Aproveite pra arrumar um chip pro seu celular. Os preços são baixos, e vai valer a pena, especialmente qdo vc estiver meio perdido e puder acessar o google maps, te deixará muito feliz!

Segurança

A Tailandia é um país de segurança relativa para os turistas. Ocorrem crimes envolvendo turistas esporadicamente. As regras básicas de segurança sempre devem ser seguidas: não descuide dos seus pertences, não inventa de ir pra bizarrice, não da moral pra quem te da informação que vc não requisitou.

Em geral os golpes são mto primários e completamente pateticos. Mas a real é q vc está de ferias e mtas vezes o “relax” te faz descuidar. Portanto tenha isso em mente. No caso desses pequenos delitos, a tailandia tem uma policia especializada em turismo, o policiamento irá te ajudar com isso, e em locais com fluxo intenso de turistas, normalmente tem uma viatura sempre proxima.

Previsão do tempo

O periodo que menos chove no sudeste asiático, no geral, é entre novembro e fevereiro, q é basicamente o inverno. O clima de monções, como lembramos da escola, torna o verão extremamente chuvoso.

SIM. é um periodo de alta temporada, o que significa passagem mais cara… :/

No caso de Bangkok, a temperatura está sempre alta, independente da época do ano. Em outras localidades, como em Chiang mai/ Chiang Rai, um moleton é o suficiente para os dias mais frios.

Localizações Básicas

Um ponto de extrema importância é a localização do seu hotel. Eu fiquei e recomendo fortemente a região de Dusit e Phra Nakhon e seus arredores. Nestes locais se concentram um bom numero de locais turísticos, muitos deles imperdíveis, em roteiros que podem ser feitos a pé, nos primeiros dias, enquanto vc se recupera da viagem.

A proximidade com locais propriamente turisticos, como a Khaosan road, como mtas “backpackers areas, é um lugar mais adequado para “party animals” é bem interessante tambem. Porem, caso vc queira ver a Tailandia, e não jovens europeus sedentos por putaria e bizarrices q não são bem tradições, como escorpiões fritos (aviso: vão cobrar pra vc tirar foto deles), evite esta rua e as ruas próximas. Ainda mais se vc quiser ter boas noites de sono.

Transporte

O transito em Bangkok é CAOTICO. O uso grande de pequenas motos e tuk tuks torna ele pior ainda. Porem, a malha ferroviária é bem razoável e acaba te deixando em qquer lugar q vc precise. Com a ajuda de trem/metro e taxis e tuk tuks, vc acaba indo pra qquer lugar q precisar.


uma viagem de tuk tuk durante a noite!

Outro ponto importante é: os taxistas nao vão querer te levar pra nenhum lugar próximo. Sim…. tuk tuks são bem perigosos. Sim, vc provavelmente vai ver algum acidente com eles. Mas é impossível não utiliza-los. Tome os cuidados de praxe, não utilize tuk tuks superlotados, va no máximo em 3 pessoas, peça pro motorista pegar leve caso ele vá mto rápido e assuma parte dos riscos.

Dica preciosa: nunca feche um preço com o tuk tuk pra ele te levar pra varios lugares. Eles vão te dar um golpe IDIOTA te levando pra lojas. Se a pessoa fica 10 min nessa loja, o motorista ganha um ticket q vale tipo um tanque de gasolina. SEMPRE feche o preço pra ir ate um lugar X e ponto final. Por mais q não seja um golpe GOLPE, com gdes prejuizos, vai te fazer discutir com o motorista, e vc não está no seu pais. Melhor q seja tudo ok.

Para localidades mais longes do seu hotel, vc vai invariavelmente de tuk tuk para o metro/trem, desce numa estação e de tuk tuk pro ponto final.

Dica preciosa repetida, pois esta é essencial: sempre leve um impresso (ou escrito por algum local) com o endereço da sua hospedagem e do seu destino escrito no alfabeto tailandes.

Compras

A Tailandia não é conhecida como um ponto extremamente propício pra compras, neste sentido achei o vietnã muito mais interessante. Porem vc irá encontrar barganhas e muitos items interessantissimos a venda por bons preços. E eles gostam muito de pechinchar.

No caso de itens mais caros, em shoppings e similares, os preços acabam sendo aqueles mesmos q estão marcados, mas no comercio de rua, comida e tal, a flexibilidade é bem maior.

O artesanato é extremamente interessante. A mitologia e simbologia é muito rica e diferente do que temos no ocidente.

Para os amantes das miniaturas e estátuas, Bangkok possui duas lojas fantasticas, onde da pra encontrar material bem legal por um bom preço.

Cultura

Infelizmente não conheci muito dos espaços culturais da cidade. Apenas uma atração, q é, na minha opinião, IMPERDIVEL: o MOCA (Museu de arte contemporanea de Bangkok). O espaço tem uma arquitetura muitissimo interessante, obras que vão interessar os mais diversos gostos, desde artes pictóricas mais puxadas pro cartoon, umas obras q parecem capa da revista “Heavy Metal”, arte abstrata… Pros amantes da arte em geral é imperdível.

Gastronomia/comida

VC ESTA NO ORIENTE. Desencana de comer filé com fritas. A comida mais “segura” aqui é o pad thai “no spice” de pato ou frango. Escolha um lugar movimentado, com mtos locais, e manda ver.

Na rua, uma boa refeição sai bem barato, com menos de 5 dolares, vc come razoavelmente bem (normalmente a porção é tipo um chawan, aquelas tigelinhas orientais, cheias. Pode parecer pouco, mas mtas vezes é o suficiente) e toma um refrigerante ou coisa que o valha. Neste momento percebi como a gente come excessivamente no Brasil.

Claro que existe espaço pra comida em bons restaurantes, porem eu não inclui isso na minha viagem. Como um bom amante da culinária japonesa, recomendo que vcs provem frutos do mar em algum bom restaurante japonês. Você esta na Tailandia, no oceano Indico… Os sabores são diferentes. Não é barato, mas é válido CASO VC SEJA FÃ de sashimi, como eu.

Fauna e Flora

A fauna e flora do sudeste asiático é muito particular. Nos passeios pelo Chao phraya você terá a oportunidade de ver diversos Varanus salvator, uma espécie de lagarto de grande porte que habita toda região do sudeste asiático, especialmente áreas próximas a água.

Elefantes são muito comuns na região, mas normalmente você não os verá dentro de Bangkok.

Os animais mais emblemáticos do sudeste asiático são os pangolins, porem você dificilmente os verá, pois além de ameaçados de extinção são extremamente dificeis de serem mantidos em cativeiro.

Um passeio interessante neste sentido é o Zoo em Dusit e o aquario proximo a siam square. Como a fauna é completamente diferente das q temos nas américas, então as “coleções” são muito exóticas.

Vale lembrar que a maioria dos zoos são instituições de amparo animal, de educação e institutos de pesquisa. Obviamente q tem lugar nojento q dopa os bichos pra babaca tirar foto abraçando o leão, mas AINDA BEM q são poucas instituições. POREM… Isto ocorre em outros lugares da tailandia, onde vc vai brincar com tigre sedado. Se vc curte animais, seja responsável pelo q vc faz e evite incentivar a bizarrice.

Atrações: não perca!

Os templos são certamente algo que não pode ser perdido na Tailandia, porem é importante ressaltar que para o tempo curto (e pro meu gosto tb), os templos acabam sendo “mais do mesmo”. Eles arquitetonicamente possuem planos de construção muito semelhantes. São espaços internos sem pilares, no fundo um grande altar, a porta da frente ampla mtas vezes apontando pra onde nasce o sol, pé direito bem alto, mtos adornos evocando a cultura/folclore oriental.

E acredite… tem tanto templo q vc vai cansar de ver. Por isso, caso vc não tenha mto tempo a disposição não esqueça dos passeios “alternativos” e foque suas visitas nos templos mais importantes, com atrações mais chamativas.

DICA PRECIOSA: Não descuide das vestimentas. Especialmente nos templos é importante manter sempre os joelhos e os ombros cobertos. O ideal é q vc esteja sempre de calça e camiseta. Na maioria dos locais eles alugam lenços e calças pra vc usar por cima.

Buda deitado

buda de jade – Wat Phra Kaew

palácio imperial

Templo do Amanhecer – Wat Arun

Wat Arun é um templo budista cheio de referencias hinduístas (como a maior parte dos templos no sudeste asiático) construído em meados do seculo 17 que se localiza nas margens do Chao Phraya, muito conhecido e praticamente um dos símbolos da Tailândia.

Wat Arun

Templo do Amanhecer – Bangkok – Tailandia

Ele é constituido por varias torres ricamente decoradas, sendo que a central, que tanto chama a atenção de longe e geram uma vista imperdivel durante o amanhecer e o anoitecer, foi construída no século 19.

A torre central possui três niveis visitáveis. O visitante sobe degrau por degrau (bem ingrimes, diga-se de passagem) e lá pode aproveitar a vista do Chao Phraya e de Bangkok.

Passeio de barco no rio Chao Phraya

Este passeio foi um tanto “polêmico” entre as pessoas que me acompanharam nesta viagem. Foi unanime que é um passeio interessante, mas a questão é especialmente o tempo do passeio. Eles são vendidos em passeios de 1 ou 2 horas. O curto te leva a um passeio sem entrar pela parte mais interessante do rio, pela região com mais templos e casas.

Tenha em mente que o rio não é extremamente poluído, mas banha uma das maiores cidades do mundo. O q quero dizer é q o rio é “sujo”, apesar de navegável e possuir vida. Tanto, que apelidaram o passeio de “role no esgoto”.

Na minha singela opinião, a segunda parte do passeio, onde visitamos áreas mais próximas a região de moradia, com mais verde, é a unica q vale a pena. Porem, não tem como chegar a parte mais interna do rio sem passar por toda parte q eu julgo mais desinteressante.

Como podemos ver no começo do vídeo, um local fácil para contratar este passeio é na área onde vc atravessa o Chao Phraya em direção ao templo do amanhecer, o Wat Arun.

Atrações: não recomendo

Ponte do rio Kway

Compras no mercado flutuante

Os mercados flutuantes não tem absolutamente nada de interessante alem de ser… flutuante. São vários barcos com produtos absolutamente normais e sem nada de diferente. Se estiver num roteiro com outros passeios mais interessantes, ok. A oportunidade de fazer uma comprinha, comer algo, pode ser válida. caso contrário, não está perdendo nada.

Quer saber mais sobre a região? Então clique aqui para acessar uma página com todos os links do blog relacionadas com viagens ao sudeste asiático.