Mesonauta festivus – Acará Festivo

1 05 2015

O acará festivo (Cichlasoma festivum) ou Mesonauta festivus, q é o sinonimo atualmente aceito), é o nome popular de varias espécies bem parecidas q aparecem de forma frequente no comércio de peixes ornamentais. Todas elas possuem mais ou menos as mesmas necessidades no cativeiro e atingem o mesmo tamanho, cerca de 15 cm no cativeiro e 20 cm na natureza.

condições básicas:

ph – ácido

agua mole

temperatura – + de 25C

minimo de 100 litros

Como muitos ciclideos, este é um peixe razoavelmente agressivo com qualquer companheiro no aquario, porem se mantido sozinho, ele irá se tornar extremamente timido, não se alimentará a contento e isso gera diversos problemas. por isso é importante mante-los com dither fishes, evitando assim estes inconvenientes. da mesma forma, aquarios bem plantados, com diversos locais para serem utilizados como esconderijo são muito interessantes.

Ao escolher peixes para dividir o aquario com acará festivo, é importante pensar sempre que eles são constantemente atacados pelos festivos. Não caia na historia de que são peixes tranquilos. eles são valentões e predadores, que costumam consumir peixes menores no seu ambiente natural, como neons. Ele vai aproveitar toda oportunidade para agredir e perseguir peixes menores. portanto, é importante utilizar peixes resistentes como dither fishes de festivos. Meu aquario possui um cardume de sumatras, q tambem não deixam as agressoes quietas e sempre q podem dão uma mordiscada nas barbatanas do festivo.

Aceitam comida de qualquer natureza, são onivoros. Este é um detalhe importante, por que significa que não irão exitar em comer tanto os companheiros menores, quanto mordiscar suas plantas. portanto, tome muito cuidado em aquarios plantados. Ele muito provavelmente vai atacar sim aquela sua Echinodorus linda. A vantagem é q vc poderá alimenta-lo facilmente com qualquer ração industrial. Porem é importante garantir que ele terá acesso tanto a alimentos de origem vegetal quanto animal.

Apesar desta espécie ter uma manutenção bem simples, é importante ressaltar que são muito sensiveis a poluentes. Portanto, é importante manter a manutenção em dia, trocas de aguas parciais no minimo mensais, limpeza de filtros e cuidados com o acumulo das excretas nitrogenadas para que não ocorram problemas.

Pra distinguir os sexos é necessario mta experiencia. Dizem que os machos sao mais “bicudos” e possuem nadadeiras peitorais mais longas. O exemplar do video é comprovadamente uma femea. Sei disso pq ela ja desovou no meu aquario.

A reprodução em cativeiro é bem fácil no Brasil, onde a natureza (e um termostato nos estados mais frios) se encarrega de deixar a agua sempre acima de 25C e fornece naturalmente uma diferença de luminosidade (fotoperiodo) que vai induzir a produção de gametas.

Mesonauta festivus cuidando dos ovos

Mesonauta festivus cuidando dos ovos depositados num tronco.

O casal irá utilizar pedras ou folhas largas pra depositar os ovos. Em cerca de 3 dias eles nascem e ficam nas folhas e pedras. em uma semana eles começam a nadar e o casal irá guardar os filhotes. Os alevinos costumam aceitar comida industrializada, caso isto não aconteça, tente incentivar com comida viva, como artemia recem nascida.

Anúncios




alimentação animal: não é tão simples qto parece

1 08 2011

tem uma diferença clara entre escolher um pote de ração nas prateleiras e balancear uma ração. o termo balancear é classicamente utilizado na nutrição para o ato de formular uma alimentação de forma que a biodisponibilidade dos nutrientes supra as necessidades mínimas do animal de forma que ele tenha máxima performance em sua fase da vida, esteja ele em fase de crescimento, manutenção, envelhecimento, ou em épocas especiais, como prenhez, lactação (no caso de mamiferos), ovoposição (ou postura), etc.

muitas pessoas acreditam que é so seguirmos alimentando o animal com o que eles acreditam que a espécie coma na natureza, mas este é um grande engano, por que a natureza não é cativeiro. em cada um dos lugares temos necessidades completamente diferentes.

o exemplo clássico são os psitacideos, normalmente ativos, se alimentando de sementes oleaginosas, altamente caloricas. quando no cativeiro, se alimentados assim ou seguem em deficit de diversas vitaminas, especialmente as lipossoluveis, e minerais, ou se tornam obesas. isso pq na natureza estas aves estariam voando de la pra ca, atividade que gasta mta energia. e no cativeiro, por mais q a ave se movimente, ela não gasta tanta energia assim.

lição numero 1: devemos contrabalancear necessidade calórica com biodisponibilidade de nutrientes.

num segundo plano, tb podemos comentar sobre os ingredientes. os carnivoros selvagens se alimentam preferencialmente de visceras (e coincidentemente mtos parasitas encistam exatamente no fígado, q é um órgao normalmente devorado logo após o abate). tubarões qdo atacam baleias, dão preferencia para a lingua da presa! ou seja: a palatabilidade, o sabor das diversas partes do animal, tb influenciam na ordem em que as partes são ingeridas.

sabendo disto, pergunto: qual a necessidade calórica deste animal? qual o elemento que limita o balanceamento? como garantir que os indices mínimos sejam atingidos? sabendo que os peixes utilizam preferencialmente as proteinas como fornecedores de energia, diferente das aves e mamiferos, que utilizam a via glicolitica preferencialmente, como garantir indices mínimos que supram crescimento e atividade? qual o balanceamento de aminoácidos? e fibras?

como poucos conseguem responder essas questões que são extremamente básicas para o balanceamento de ração, eu aconselho que se mantenham apenas comprando ração, espécie especifica, sempre a mesma ou mudando apenas quando o pote acaba, sem misturar porque a troca repentina de formulação pode levar a diarreias e outros desajustes do trato gastro intestinal.





vermes e vermifugação: fazendo direito!

7 05 2011

la venho com mais uma orientação sobre como evitar infestações por vermes e explicações mais profundas e escritas sobre pq eu tenho de fazer a chatice de mandar vc procurar um veterinário. este texto é bem simples e básico, fora os exemplos especificos q uso, com nome científico e tal, podem ser trocadas as espécies. as aves tem os seus vermes especificos, os repteis, peixes, etc, idem.

os vermes são um dos piores problemas, especialmente nos filhotes, primeiro pq eles são nojentos, vivem dentro das mais diversas cavidades do corpo, pq mtos deles são zoonoses (ou seja: são transmissíveis aos seres humanos) e infecções maciças podem legar o animal a morte, seja por eles sugarem mtos nutrientes/sangue ou por entupirem o intestino, no caso de vermes intestinais (sim! existem vermes q habitam o coração, pulmão, narinas, etc), o q é péssimo especialmente qdo lembramos que o controle é especialmente eficaz e fácil.

primeiro fato relevante: pra vc “pegar” verme, vc tem q entrar em contato com ambiente contaminado. normalmente limpeza normal da casa e dos alimentos daria conta do problema. ou seja: se vc lavar a roupa, a casa, limpar o bumbum direito depois de defecar e LAVAR AS MÃOS após tal ato, já diminui MTO a chance de vc ter vermes. portanto caso vc limpe o banheiro, o recinto, os fomites (prato, cobertor, etc) do seu cão com frequencia, vc elimina a maior parte das fontes de infecção.

segundo fato relevante: os vermes estão adquirindo resistencia a mtos medicamentos. se vc ler o texto onde falo sobre o controle de pulgas ou o de carrapatos, vc entenderá q o negócio é gravíssimo, pq os “superpoderes” estão chegando a VARIAS espécies. se é dificil vc eliminar as pragas artropodes, q a gente vê, pode pegar e se incomoda um monte, imagine o q não acontece com os vermes, q são grandes, mas estão escondidos e na maioria das vezes passam despercebidos, isso qdo não ganham doses inadequadas de medicamento, incentivando a seleção do mais apto, como o mestre darwin diria. TODO mundo vermifuga o cão por conta, sem assistencia veterinária. e TODO mundo faz errado. por isso, q temos este problema.

o q é vermifugar corretamente? seria vc administrar o medicamento e re-administrar de acordo com o ciclo do verme. explico: o verme nasce de um ovo e tem de virar adulto. para tanto ele faz um tour pelo mundo, seja no corpo de um so ser vivo apenas, ou passando por varios, tipo a solitária q pegamos da vaca (Taenia saginata) ou do porco (Taenia solium). e neste tour, mtas passam por diversos orgãos.

a lombriga dos cães (Toxocara canis), por exemplo, a larva sai do ovo dentro do intestino do cão, entra na circulação, passa por diversos orgãos. ela vai crescendo, e sai pelo pulmão. ai ela vai sendo empurrada pra fora. algumas são “espirradas” pelo animal, mas muitas acabam engolidas e chegam ao intestino (novamente) onde se tornam adultas e produzem ovos.

como mtos dos medicamentos não são absorvidos, não entram na circulação, ficam so no trato gastro intestinal, mesmo q vc consiga matar todos adultos, pode haver uma leva crescendo dentro de outros orgãos, q vão pra morada final justamente depois do medicamento já ter ido embora, infectando novamente o animal.

Portanto, para vermifugar direito, vc precisa saber:
1- que vermes ocorrem no local,
2 – quais medicamentos afetam eles
3 – qual o intervalo de tempo de vida deles (tempo q demora pra larva virar adulta)
4 – caracteristicas das drogas (se ela é ou não absorvida, por exemplo).

devemos lembrar tambem q é complicado aplicar certas drogas. imagine larvas de vermes mortos se decompondo no seu sangue. não é legal, ne? então tb não se deve aplicar determinadas drogas em determinadas infestações! imagine um animal com uma infestação maciça no intestino. se vc mata todos aqueles vermes, pode ser que eles entupam LITERALMENTE o intestino, levando o animal a um problema gravissimo.

é por isso q tenho de dizer CONSULTE O MÉDICO VETERINÁRIO ANTES DE VERMIFUGAR SEU ANIMAL. e é pra ser vet tem q estudar mais de 5 anos.





a evolução forçada

2 03 2011

este post foi motivado pela seguinte notícia: http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2011/02/peixe-evolui-e-se-adapta-rio-poluido-nos-estados-unidos-diz-estudo.html . ela conta sobre uma espécie de peixe (Microgadus tomcod) que se adaptou para viver num rio poluido por um tipo de veneno muito tóxico da classe dos organoclorados, o bifenilpoliclorado. os piores pesticidas que surgiram na face da terra. um professor meu dizia que a unica coisa que todos os seres vivos compartilham é a presença desta molécula no corpo.

o gene citado codifica proteinas utilizadas na biotransformação (e, portanto, na desintoxicação), no ciclo celular e resposta ao stress. proteinas são máquinas do corpo. algumas funcionam como máquinas simples (como uma alavanca, ou engrenagem) ou complexas (como um motor, que são muitas maquinas simples combinadas). da mesma forma, pode-se utilizar diversas proteinas em sequencia para chegar a determinada ação: quando você combina as proteinas (a hemoglobina, por exemplo, é a combinação de 4 proteinas mais um grupamento central heme, que é onde carrego o O2 propriamente dito), elas ganham funções e podem ser utilizadas em diversas aplicações, como existe engrenagem no CD player e no motor.

descobriu-se que alguns organoclorados fazem esta proteina funcionar menos, o que justifica a morte (lenta e dolorosa, diga-se de passagem). se o animal voltou ao normal com a mutação é porque a proteina trabalha em níveis normais quando estão na presença do toxico que a inibe, portanto, sem o toxico ela vai ficar hiper-reativa. como consequencia, o animal com gene alterado, num ambiente “limpo” vai ter uma biotransformação acelerada, um ciclo celular acelerado e vai ter uma resposta ao stress (que é algo de extrema complexidade) também alterada.

biotransformação é, a grosso modo, a desintoxicação. toda vez que você ingere um toxico ele é biotransformado, ele passa por uma série de mudanças na molécula para que possa ser eliminado via renal ou fecal sem detonar tudo. e pra tanto, normalmente dentro das células do fígado estão diversas proteinas que formam uma fábrica de desintoxicação, a ahr é uma das ferramentas.

isto não quer dizer que o animal não vive, so quer dizer que não vive normalmente, como viveria com uma versão “normal” da proteina.





manutenção básica de um aquário de água doce

10 02 2011

aproveitando meu dia de “folga”, vou escrever um pouquinho sobre como fazer a manutenção de um aquário de água doce. tem gente q acha q é dificil, trabalhoso, mas é pq aquários não seguem o bom senso humano, eles tem uma lógica toda particular e não respeita-la é gerar problemas.

a unica coisa q vc precisa fazer com um aquário semanalmente é limpa-lo, mas não é limpeza literal, tirar o cascalho, mexer e tal. apenas pegue uma esponja limpa e de uso exclusivo do aquario, sem colocar nada nela alem de agua, passe nos vidros pra tirar as algas e depois retire parte da água e reponha. pra isso vc utiliza um sifão. puxe a água e um pouco de sujeira, passando levemente sobre o cascalho.

vc pode tamber puxar mais sujeira enfiando o sifão dentro do cascalho, mas caso seu aquário tenha plantas, vc vai danificar as raizes e não vai dar certo. as raizes vão morrer, serão decompostas e se tornaram mais sujeira, isto se a planta inteira não morrer.

nesta mistura de sujeira e água, esta se retirando matéria organica, q de outra forma se tornaria amonia, composto toxico que gera problemas nervosos. retirando entre 10 e 40% do volume do aquário, o q normalmente representa pouco mais do que um balde, ao não ser q seu aquário seja jumbo, é o suficiente pra garantir o equilibrio.

recomendo o uso de água descansada, sem o uso de declorificantes, pq estes itens retiram o oxigenio da água. imagine se vc faz esta TROCA PARCIAL DE AGUA (TPA) num volume mais alto… os peixes vão sofrer!

e isto basta! significa entre 5 e 10 minutos gastos por semana!





alimentação de peixes

23 01 2011

os peixes são animais de estimação muito negligenciados, por que alem da enorme quantidade de espécies comercializadas, dificilmente algum exemplar tem valor financeiro que anime um proprietárioa pagar pela consulta veterinaria. Neste rápido artigo vou tratar apenas dos erros que cometemos no caso da alimentação dos animais aquáticos que habitam aquários sem entrar nos detalhes da utilização de cada item pelo metabolismo. ou seja: algo bem prático.

a alimentação é um lance extremamente básico e pode ser a diferença entre a vida e a morte. um exemplo clássico são os cascudos, muitas espécies, como o cascudo zebra, não sobreviviam e so passaram a ser criados e reproduzidos quando descobriram que eles precisavam de uma alga, a SPIRULINA, na dieta. ai surgiram as rações com este ingrediente;
é obvio pra todos que um animal onivoro tem necessidades diferentes de um carnivoro que tem necessidades de um animal herbivoro. dentre os carnivoros, por exemplo, existe diferença enorme entre os insetivoros, os predadores de outros peixes, os que tem preferencia por vermes…

H. zebra, foto linkada do www.aquahobby.com
Hypancistrus zebra (imagem linkada do www.aquahobby.com)

isto significa que um insetivoro evoluiu para se alimentar dos niveis de proteina, gorduras e carboidratos, q são quantidades diferentes do q tem em uma planta (q ainda tem quantidade de fibras q é fator importantissimo), q é mto diferente do q tem em um peixe. pra comparar, é so lembrar do q comemos. azeite é gordura, mas é mto mais saudavel do que banha de porco. e tb é consenso que um prato de salada é mais saudável que um cheese maionese. da mesma forma, o que é ideal pra um peixe insetivoro pode ser um cheese ataque do coração para um peixe herbivoro.

as fibras, por exemplo, são essenciais para ALGUMAS ESPÉCIES de peixes herbivoros, porque alguns que comem ALGAS, precisam de menos fibras. e praqueles que precisam de mais fibra? como você vai suprir isso? a industria de rações ajuda vc nisto.

so existe uma coisa importante neste assunto: suprir as necessidades nutricionais dos peixes. se pra isso eu uso uma ou duas rações, é outra história. e a ração é exatamente isto: completa, balanceada e pratica.

ok. mas que ração eu compro?

cada espécie necessita de um tipo de alimentação. olhando so os niveis minimos, não da pra saber se a ração é boa ou não. caso você não compre rações especializadas, ração de ciclídeo africano pra ciclídeo africano ou de disco pra disco, é tutte le stesse, tudo a mesma coisa.