doação de sangue em pequenos animais

13 06 2011

a gente sempre ouve falar que doar sangue é um ato de amor a vida, e muitos tem isto como hábito, mas o que é desconhecido da maior parte da população é que este mesmo ato salva vidas de animais. não é a doação de sangue de um ser humano para um cão, por exemplo, mas sim de um cão para outro.

vale ressaltar que a transfusão é SEMPRE espécie especifica, de cão pra cão, de gato pra gato, do canario pro canário, do papagaio pro papagaio. qquer tranfusão entre espécies diferentes é um procedimento complexo que deve ser evitado ao máximo.

outro ponto importante é lembrar que este tipo de procedimento é um tipo simples de transplante, portanto não se deve pensar nisto como algo livre de riscos, apesar de extremamente corriqueiro. caso ocorra uma transfusão, o animal deve ser observado de perto por um profissional veterinário durante pelo menos 2 meses.

ok. mas o que o sangue faz?

o sangue corre pelas veias (vasos que chegam ao coração) e artérias (vasos que saem do coração) e estas ruas e avenidas transportam tudo q é necessário para que as células vivam adequadamente: nutrientes e oxigenio, levando embora os subprodutos, o lixo produzido por elas, como o gás carbônico e a amonia.

neste ambiente tambem se movimentam as células de defesa do corpo, que saem dos linfonodos e outros orgãos linfoides (que são tipo as delegacias de polícia do corpo) vão para os diversos orgãos para defende-los e vice versa. como o sangue é um tecido líquido, ele possui capacidade de coagulação pra garantir que eles vão ficar sempre dentro dos vasos. neste processo o sangue passa do estado líquido para sólido, formando um tampão caso as paredes do vaso quebrem, para que não haja perda desnecessária.

nisto, caracterizamos 3 das mais importantes funções do sangue: transporte de nutrientes, linha de defesa do corpo e coagulação.

pra que realizar uma transfusão?

na transfusão sanguinea visamos, basicamente, recuperar 2 dessas funções: o transporte de nutrientes e a coagulação.

o que é transfundido?

uma doação de sangue pode gerar diversos tipos de bolsas de hemocomponentes, mas as mais comuns e mais usadas são:

– bolsa de concentrado de hemácias – contem a parte vermelha do sangue, são as hemácias, que carreiam principalmente o oxigenio.
-concentrado de plaquetas – estes elementos sanguineos, as plaquetas, são essenciais para a coagulação. elas funcionam como elemento agregador, “colam” em superfícies feridas e ajudam a formar o coagulo.
– plasma – é a parte mais liquida do sangue, formada em grande parte por água, mas possui tb elementos importantes: alguns fatores de coagulação (elementos que ajudam a consolidar o coagulo) e proteinas que ajudam a carrear as diversas substancias utilizadas pelas células.

o teste de compatibilidade: pra que?

transfusão do sangue é um transplante de tecido, e isso tem mtas implicações. a policia do corpo, os leucocitos, tem como função básica garantir que tudo q temos dentro de nos, nos pertence. por isso, ao realizarmos a transfusão, se as celulas de defesa vão analisar se este novo elemento introduzido é ou não igual ao resto do corpo. ai q entra a importancia dos tipos sanguineos. os grupos iguais possuem semelhanças que confundem as células de defesa, que não destroem o sangue transfundido.

um exemplo bem simples: imagine um policial atras de um bandido. se ele sabe que o ladrão está num carro X, ele automaticamente irá parar todos estes carros para averiguação e vai deixar todos os outros passarem. da mesma forma, para o sistema de defesa, todas as células do nosso corpo são da marca Y, então se avistar uma célula X, ele irá lá averiguar e destruir.

e qto aos grupos sanguineos?

os cães possuem diversos grupos sanguineos, bem diferentes dos humanos. enquanto o ser humano tem basicamente o grupo ABO (ou AB0, como alguns preferem) e o rh (existem outros, conhecidos como “tipos raros”), os cães possuem 7 grupos, denominados pelos números de 1 a 7, sendo que o tipo 1 possui 3 tipos (tipo 1.1, tipo 1.2 e tipo 1.3) e é um dos mais importantes quando falamos de transfusão.

por este motivo a transfusão de sangue entre cães é um procedimento bem delicado e precisamos realizar diversos exames para garantirmos que existe completa compatibilidade entre os animais. por isso realiza-se os testes de compatibilidade, q não é apenas misturar os dois sangues, como explicarei a seguir.

os gatos são um tanto mais simples, possuem apenas 3 tipos sanguineos, o A, o B e o AB, sendo que podem existir outros ainda não descritos.

a transfusão entre gatos tem uma vantagem: mais de 90% dos animais são descritos como do tipo A, entao a chance de errar é menor. mas caso não se realizem os testes adequados, a consequencia é gravissima e pode levar o animal a morte, pq é sabido que o qdo o tipo B recebe sangue tipo A, ocorre uma reação mto grave e dificilmente reversível.

o teste de compatibilidade: mais informações!

para evitar problemas se realiza o teste de compatibilidade, onde se mistura hemácias do doador e plasma do receptor (teste maior), hemácias do receptor e plasma do doador (teste menor), em temperaturas de 4°, 25° e 36° celsius. a interpretação desse exame é complexa e o veterinário vai conversar com o patologista clinico para que cheguem ao parecer qto a viabilidade ou não da transfusão.

quem pode doar?

cães: podem doar cães com pelo menos 28 kilos, mais de 1 e menos de 10 anos, que estejam vacinados e bem cuidados.

gatos: como gatos são animais de pequeno porte com poucas celulas vermelhas (quando comparado a outras espécies), por isso se da preferencia a gatos de grande porte, como maine coon e rag doll. eles tem de ser negativos pra FIV e outras doenças transmissiveis.

Anúncios




dicas pra fotografar animais

9 06 2011

eu acho q a técnica de iluminação é meio q indiferente, o problema é lidar com o animal pra ele colaborar com o ensaio. luz contínua pode deixar o animal quente, flash pode assustar… tem vantagens e desvantagens e vc vai pastar de um jeito ou de outro pra conseguir o q vc quer. e vcnão tem como prever com qual o animal prefere. cães costumam ser mais indiferentes, ja alguns gatos odeiam flashes.

mantenha o dono (q não é o mesmo q proprietário, dono é o q cuida) sempre por perto pq a presença acalma o animal. use os brinquedos pra atrair a atenção deles, biscoitos e carninhas, desses q tem em pet shop, pra recompensar. e DE bocados de alimento qdo vc oferecer, senão o bicho se sente q nem idiota e pode passar a não colaborar. alguns gostam de barulhinhos, bolinhas q fazem som e tal. alguns não aceitam q vc chame a atenção dele, não comem da sua mão, ai o dono se torna uma ferramenta importantissima para fazer o animal “posar”. vc pode alternar todos estas técnicas.

ANTES DE MEXER NO ANIMAL SEMPRE apresente o dorso da mão pra ele cheirar, mantendo-se na altura dele, sem movimentos bruscos e com suavidade pra ele cheirar (claro q o animal deve estar na coleira com o dono ao lado). se ele rosnar ou qquer coisa, respeite. vc pode tentar comprar ele com comida, mas sempre peça permissão. tem gente “malhação”, q fica nervoso qdo vc da comida pro bicho dele (talvez pq ele não possa comer e quer q o bicho tb não coma! laughing.gif ) fale baixo com ele, faça amizade, senão o projeto vai pras picas. este primeiro passo é fundamental.

é importante q o ensaio seja razoavelmente rápido, depois de uns 30 minutos o animal começa a ficar agitado, ainda mais se não tiver agua. qdo ele cansar, de um intervalo de pelo menos 10 minutos, uma volta rapida na rua pro bicho sossegar. provavelmente ele vai se deixar fotografar novamente.

NUNCA utilize nenhuma forma de tranquilizante ou sedativo. primeiro pq é uma bruta sacanagem com o animal. em segundo lugar pq se vc errar, pode matar (e tem raças q são sensíveis a determinados medicamentos). em terceiro lugar pq é um ato criminoso e so um médico veterinário pode fazer este tipo de procedimento.

o melhor seria ter um cão e treina-lo, mas nem sempre é trabalho de publicidade desse tipo.

gatos são animais bem mais dificeis de lidar, uns fora de casa vão se tornar anjos, outros vão achar q são leões. eles vão invariavelmente querer ficar dentro do lugar de onde eles vieram (caixa de transporte) e sempre q vc der uma brecha ele vai tentar fugir. por isso mantenha o ambiente LACRADO, janelas fechadas, portas fechadas e sem locais altos pra ele subir. cuidadon com ar condicionado central. mantenha tb um par de luvas de raspa por perto, caso o bichano comece a dar piti. e to falando serio.

o truque da comida não funciona bem, mas os brinquedinhos e sons funcionam melhor e por mais tempo. gatos gostam de caçar, vc pode aproveitar este comportamento pra fotos “sou um caçador de ratos” e pra chamar a atenção. o problema é q demora pra maioria dos gatos se sentir em casa e eles são extremamente territoriais, então… paciencia!

1 ensaio de humanos =1/4 de ensaio de animais (uma comparação q eu constato na prática). vc pode demorar dias pra conseguir A foto.

pra cães o ensaio out door é classe, bem mais sossegado apesar de ser mais trabalhoso pra gente e não fornecer o resultado q um estudio fornece.

dica de livro: adestramento inteligente do alexandre rossi. ele fornece umas técnicas de adestramento rápido, ai vc consegue mais coisas em menos tempo.

vc ainda por cima faz um filme danado com o cliente pq ensina pra ele umas boberinhas sobre o comportamento animal e ele vai achar q vc é O cara. especialmente se vc pegar a manha de lidar com gatos. dono de gato em geral é uma praga, mas ele sempre faz o q vc quer, paga bem e são dedicados.





manutenção de primatas em cativeiro 2

4 06 2011

recebi alguns e-mails falando mal deste artigo q escrevi escrachando a criação de primatas em cativeiro, e achei interessante abordar novamente o assunto, explorando os pontos comuns dessas exposições.

primeiro: se vc discorda do meu ponto de vista, mto provavelmente vc não tem nem teve um primata de estimação, nem contato com quem convive cotidianamente com eles. quem mantem estes animais, entende mto bem o q estou relatando. os colegas q trabalham em zoos tb sabem mto bem, inclusive vale ressaltar que a casuistica de briga e lesões graves resultantes dessas brigas em individuos mantidos em colonias nos zoos é relevante.

O sagui de tufo negro é um dos primatas mais comuns no Brasil.

primatas não são cães, q são mto mais razoáveis e inocentes. primatas são extremamente espertos, possuem algo que pode ser entendido como “malícia”, aprendem facilmente a manipular os seres humanos, são ageis o suficiente pra não serem facilmente capturados… são fatos. encarem.

outro fator q é crucial é a agressividade. e eles precisam ser agressivos. a imensa maioria dos primatas, e todos os presentes no dito novo mundo, são animais de pequeno porte. são PRESAS. são COMIDA de felino, cobras, aves rapinantes… pra se defender são bem armados e utilizam mto bem o q eles tem. se vc estivesse na natureza, iria fazer o mesmo. la não é um lugar bonito e paradisiaco, mas sim um local de relativo perigo, onde se passa fome e tem de se trabalhar mto pra comer, beber, se abrigar e ficar vivo. não é conversando q se convence um predador a não caçar.

um tema q não abordei antes, e é importante ressaltar são as doenças. existem os herpesvirus, são mais de 40 tipos sendo que qdo eles “pulam” de espécie podem gerar grandes problemas. mas o q importa é q o herpesvirus deles pode ser altamente problemático para os seres humanos e o dos seres humanos pode matar algumas espécies de primatas. ou seja: uma troca potencialmente problemática de doença mto comum em todas espécies, com conhecimento de q pode resultar em morte.

os caras que tem esse bicho e tem uma boa relação com eles, sem problemas, são certamente especialistas no assunto. encare os fatos: um bom treinador estuda anos a fio para conseguir se comunicar eficientemente com outras espécies. vc não vai aprender isso de uma hora pra outra. não é pra qquer um. encaremos tb q a maioria das pessoas mal consegue ter um bom relacionamento com um cão, q são animais domesticados a milênios, cujas tecnicas de adestramento são amplamente desenvolvidas e divulgadas.

se vc ainda assim quer adquirir um animal destes esteja consciente da possibilidade da não socialização adequada e da manutenção dele em recintos fechados. tenha a possibilidade de manter um espaço adequado, um recinto gradeado de espaço razoável, ANTES de dar problema. isso tem um nome simples: responsabilidade. ter um animal é isso.





comportamento básico dos gatos

4 06 2011

os gatos NÃO SÃO TRAIÇOEIROS e NÃO SE APEGAM SOMENTE AO LOCAL. eles são vitimas de diversos preconceitos, que são mantidos por pessoas que na imensa maioria das vezes nem ao menos possuem um gato para compreender as suas necessidades e caracteristicas. neste texto vou falar sobre a vida dos gatos, para que possamos compreender como eles nos enxergam e pq eles fazem o q fazem.

ciclo cicardiano – os gatos são animais com habitos noturnos. é durante a noite que eles caçam e socializam. porem, isso não significa q ele so durma durante o dia e so fique acordado durante a noite. eles dormem varias vezes durante o dia. portanto, vc pensa que seu gato é preguiçoso, mas a verdade é q ele está mais ativo justmanente qdo vc está dormindo.

alimentação – gatos são caçadores solitários que capturam pequenas presas e as consomem, com preferencia a visceras. caçam por emboscada e são extremamente focados. por isso é importante que o alimento especifico pra gato seja oferecido em diversas porções durante o dia e a noite.

socialização – machos – formam grupos de animais mais fortes que dominam uma determinada área e tem “passe livre”. fazem reuniões em certos pontos, onde medem forças e se testam estabelecendo quem pode ou não ficar por ali. este comportamento é tão característico, que é retratado em desenhos animados como no TOPCAT, no Brasil conhecido com “a turma do Manda Chuva”.

gatos novatos são perseguidos e expulsos, até q provem q merecem estar naquele grupo, porem brigas mais claras são evitadas, pq por mais fraco, eles estão bem armados e podem se machucar gravemente. mas machucados leves são comuns, já que estão em constante prova.

caso um dos membros aparentar doença ou fraqueza, automaticamente será atacado pelos outros, até que prove ser “digno”.

femeas – formam grupos mais voltados a cuidar das crias. passam tb por provações dos grupos, mas por motivos sexuais são mais toleradas.

ambos os sexos – é interessante notar que mudanças fisicas, como mudança de cheiro ou tosa, deixam os animais diferentes e isso pode ser interpretado, pelos companheiros de área, como uma fraqueza ou doença. por isto, é comum que gatos sejam atacados após os banhos. alguns sabem mto bem disso, portanto ficam mais caseiros após estas mudanças, ate q volte a uma aparencia q eles julguem “normal”.

eles tb fazem alianças. pares ou trios podem se juntar , viver juntos e se proteger. são irmãos, convivem na mesma área, dormem proximos e um cuida da segurança do outro. é uma amizade, literalmente, pode ocorrer com animais de sexo diferente.

eles tb se comunicam com diversos sinais, como cheiro exalado por glandulas entre os dedos e do lado da orelha e por marcas fisicas deixadas em madeira, por exemplo.

territorialidade é um ponto chave e de extrema importancia. como vimos, os felinos são extremamente territoriais. consomem mto recurso natural (ratos, insetos e etc), eles realmente gostam mto da sua área e se sentem seguros lá, ja que conhecem os esconderijos, inimigos, locais de facilidads (como alimentos), e etc. por isso que eles estressam quando saem do seu lar. e é facil entender pq: se coloque no lugar da vida de gato. vc dorme mais de 12 horas por dia. tem uma gangue q vc tem q ganhar o respeito e q vai te perseguir caso vc não se adeque. e exatamente por isso que gatos castrados e de apartamento se adpatam mto melhor a mudanças, apesar de tb não gostarem delas.

estrutura familiar – os machos e femeas se relacionam por compartilharem territorios e com interesses sexuais. as femeas se juntam em grupos que cuidam de filhotes, formando uma “creche”. os filhotes treinam como caçar e como brigar. como são animais naturalmente caçadores e curiosos, de acordo com o crescimento, eles vão se afastando do nucleo de filhotes e inicia sua vida adulta.

num proximo artigo, abordo as implicações de todos estes fatos.