Phi Phi Island – Uma das pérolas no mar da Tailandia

25 05 2015

Phi Phi é uma dos mais bonitos e interessantes arquipélagos da Tailândia, a ponto de algumas praias terem sido utilizadas para imagens de filmes hollywoodianos. Em koh Phi Phi Leh, área de proteção ambiental, foi gravado o filme “a ilha”, com Leonardo DiCaprio.

A ilha principal se chama Phi Phi Don, possui um formato semelhante a uma borboleta (depois de vc pisar nela e fumar mto crack, vc enxergará claramente isso), sendo q a parte que une as asas é onde fica a maior parte da hospedagem e da cidade.

Para chegar lá

A melhor forma de chegar em koh PhiPhi, ou qquer ilha da Tailândia, é comprar um pacote numa agência de turismo em Bangkok. Tem uma caceteda pelo centro, especialmente em Khao San Road, onde o nosso hotel nos indicou. Não costuma ser um grande problema, mas é bom adquirir as passagens com antecedencia pra garantir que vc não irá ter problemas, especialmente se tiver hospedagem marcada ou outros compromissos.

Nestes pacotes geralmente estão inclusos ticket de onibus que vai te levar pra um dos portos de onde saem embarcações para as ilhas, seja koh Phangan, Phi Phi, Samui… O mesmo trajeto pode ser feito via trem, mas eu não fiz então não tenho muita ideia. Embarcações para Phi Phi partem de Phucket e de Krabi, entre outros (poucos) destinos.

Pra pegar o busão não tem erro, é so chegar no horário e fazer o check in, isso vai estar bem explicado. A questão maior é quanto vc desembarca no local onde rola a baldeação para o barco.

Nisso começa um problema chato. Especialmente qdo vc chega de noite, não tem NADA de informação. Eles te soltam durante a madrugada num estacionamento, obviamente no final dele é onde ocorre o embarque, mas… fodam-se vcs. Vai ficar esperando o embarque sem informação e se reclamar vai ficar mais confuso ainda.

A real é q não tem segredo. Aproveite a espera, coma alguma coisa nas lojas de conveniência, e relaxe um pouco. Leia, ouça musica… sei la. Vc vai ver a movimentação maluca pra fazer o check in e é basicamente isto q vc precisa. E nao precisa cada um fazer o seu check in, va um so com todos os comprovantes dos amiguinhos e faça sozinho. Relaxe e so fique esperto na movimentação do q importa: o lugar do check in e o lugar do embarque propriamente dito.

Depois do check in, existem duas opções, é legal vc saber de antemão como vai rolar pra estar preparado:

– Vão chamar todo mundo, pq é tipo uma linha de barcos q vai pingando de ilha em ilha.

– Vão chamar pelo horário do barco, q vai direto pro lugar.

A primeira opção vão dar pras pessoas uns adesivos coloridos de acordo com o destino. Em geral é um barco absurdamente gigante com capacidade pra centenas de pessoas. Neste caso, ao embarcar já veja com a tripulação se tem sala vip, onde vc paga um valorzinho a mais e vai numa poltrona legal, numa área onde o barco não pula mto, com tv, e espaço pra vc tirar um cochilo do bom.

Se for embarque por horário, pode dar merda caso alguem atrase. Fiquei esperando tipo umas 3 horas, pq pela falta de comunicação, não nos levaram pro lugar correto, atrasamos e tivemos de esperar tipo um barco extra pra ir pra la. Nisto recomendo q vc não aceite apenas a palavra de um dos “guias”. Va conversando com todos, pq em alguns lugares a desorganização é DOSE. Ao mesmo tempo, pode ser q cada um te de uma opção, ai vc vai ficar confuso. Hehe!

Pelo atraso, foram umas 3 horas a mais. Ia saindo barco lotado sem lugar pra nossa turma e a gente precisava esperar. E não adianta reclamar, ameaçar, dizer q é advogado… eles cagam pra vc. E se vc estiver com isso em mente e aceitar seu destino mais suavemente, irá ser melhor.

A ilha 

A primeira coisa q notei é q o que mais tem nessa ilha é gringo que trabalha parte do período para continuar sua estadia. E existem diversas opções. Se vc é dive master, se vc tem qquer tipo de caracteristica diferencial, até mesmo se vc fala PORTUGUES (tem brasileiro e português pra cacete por lá), vc consegue descolar um empreguinho de meio perioso.

A segunda coisa q vc vai notar é isto aqui:

long tail boat em maya bay

Foto cliche de um dos lugares mais fantásticos do mundo!

Ou seja: relax. vc está numa das ilhas mais fantasticas do mundo.

Uma coisa q é bom pra uns, mas é péssimo para outros é q a ilha ta praticamente uma Ibiza. A noite rola balada ate altas horas da madrugada com direito td q vc estiver afim. Na minha opinião isso é bem triste por que a ilha tem mto mais jeito pra um resort paradisiaco com natureza abundante, do que um espaço pra hippie vagabundo pirar nas drogas ou molecada europeia descobrir o mundo (q é basicamente o q acontece la, mtos jovens querendo mta balada).

Ok o cara pirar nas dorgas, problema dele. SO QUE NÃO FICA JOGANDO VIDRO NA PRAIA, PORRA. Tem muito vidro pelas praias. MUITO. Tanto q eu desisti de recolher. Felizmente a areia lá é bem grossa e acaba dando rapidamente uma boa lixada nas faces cortantes e não rolam mtos acidentes. Não descuide do chinelo e divirta-se!

Muito vidro na areia de Koh Phi Phi

A inteligencia humana tem limites. A estupidez NÃO. Cuidado com os pés em Koh Phi Phi Don.

A vantagem é q vc consegue sim sair desta região (Loh Dalum bay e Ton Sai bay) q concentra brutalmente as festas e é onde provavelmente as pessoas ficarão hospedadas em sua maioria (pq a hospedagem fora deste espaço tende a ser cara. REALMENTE cara.). E a melhor parte está justamente fora deste centro. Tanto em hospedagem quanto em maravilhas naturais.

Com a ajuda de um taxi boat, q não é la muito caro, vc tem acesso as outras praias mais “remotas” que da um trampo pra vc chegar de outra forma. Se vc quiser voltar, é mto simples. Vá ate a praia e pegue um barco de volta! Porem rola um probleminha importante: vc tem q sair ANTES de chegar a maré baixa, pq nesse momento começa a dar trabalho de arrumar um taxi, pq tem q ser um q esteja mais ou menos disponivel numa área navegavel.

O q eu fazia, e funcionava mto bem, era descer em uma praia, ia andando pela trilha que liga as praias, o que te dá acesso a toda cidade. E na volta eu simplesmente seguia as placas que levam a Ton Sai Bay. O “problema” é q de loh lanna pra ton say bay a parada é meio fechada, a mata é meio complicada, mas nada q te deixe mto triste. So faça a trilha num horario com luz, pq tem porções ingremes e vc pode ter dificuldades no escuro.

Trilha que liga Ton say bay e Loh Lanna bay,

Para chegar em Ton Sai bay é so seguir a trilha!

Comida

Prepare-se para comer mal.não MUITO mal, mas aqui não tem NADA de muito interessante. Como a prevalencia de gringos é MUITO grande, tenta-se oferecer alimentos mais proximos dos que os “westerns” curtem. Isso significa q vc vai ver muito mais “barbecue” e “pizza”. Mas isso não é bom. A qualidade do trigo é péssima em toda a extensão do país, o que se reflete na qualidade do alimento final. Nao é podre, que vai te deixar doente, nem nada. So fica longe do que vai agradar ao paladar.

A base geral da alimentação no oriente é ARROZ. A base proteica da alimentação no oriente é pato e frango. Obviamente, a produção do trigo, laticionios e da carne bovina ficam um tanto prejudicadas. Sem contar que uma pizza ou um churrasco é mais caro do que um bom pad thai. Se é só pra matar a fome, manda ver em qquer coisa. Se é vc faz questão q seja minimamente aprasivel ao paladar, restrinja-se a pratos locais. Isto vale para todo o oriente, mas é especialmente verdade aqui.

Outra questão importante é quanto a hidratação. Eu particularmente consumia shakes de fruta direto. Obviamente o uso de água não tratada pode te trazer coisinhas desagradaveis como vermes e colera, mas… eu assumi o risco. A real é q é bem dificil vc avaliar se rola manipulação da comida com minimo de higiene, pq lá o movimento é bem grande e por isso o pessoal ja deixa tudo no jeito pra preparar os shakes. Se vc levar um cloro e aplicar na sua bebida, é bom, mas… não garanto nada.

Fauna e Flora

Pra quem gosta de animais e curtem aquarismo, isto aqui é um paraíso. Nas praias é possível ver mtos peixes e outros seres vivos que vivem na área rochosa, bem como fazer um snorkeling sem compromisso. Da pra ver MUITAS espécies diferentes, tanto de peixes qto invertebrados.

Já na área de mergulho scuba e snorkeling propriamente dito, vc verá as mais diversas espécies que povoam o imaginário dos aquaristas, como Zanclus cornutus ou o cobiçado Ballistoides conspicillum (espécie q infelizmente n vi). Existem MUITOS points espalhados pelo arquipelago e não conheci nenhum q seja de menor “qualidade”. Vale comentar que os passeios para snorkeling geralmente incluem mascara e snorkell, porem poucos fornecem pés de pato.

Outro mergulho mto legal é o shark point, onde vc irá ver algum tubarão, dos pequenos aos grandes, mas normalmente animais com menos de 1,5 m. Neste ponto, os pacotes prometem avistar pelo menos um tubarão. Um ponto importante é q o mergulho ocorre apenas de maio a outubro, pq as correntes na área se tornam perigosas.

Pro pessoal que busca um passeio de nivel maior, existe a possibilidade de tentar a sorte pra encontrar um whale shark ou raia manta. A 65 km de phi phi, existe um ponto chamado Hin Daeng e Hin Muang, onde ocorrem muitos avistamentos de ambas espécies. Porém, 65km de speed boat é algo meio complicado, então o mar e o tempo tem de estar bem estável, e as vezes o passeio contratado pode ser cancelado no ultimo minuto.

Fora isso… tem a ilha dos macacos, q é bizarra, é um monte de macaco que rouba comida de todo mundo, com pessoas sem noção comendo e alimentando os animais. Bom pra passar raiva da falta de noção.

Passeios

Koh Phi Phi Leh – Maya bay – Um dos points q PRECISAM ser vistos. Um dos pontos únicos do mundo. tanto em relevo quanto em paisagem. Esta é a segundo maior ilha do arquipelago, localizada a 1,5km de koh phi phi don.

Nesta praia foi gravado o filme “a Ilha” com Leonardo diCaprio, o que gerou modificações na ilha que geraram danos permanentes para a natureza. Todo este espaço faz parte de um parque nacional. Qdo vc desembarca na praia, deve pagar uma taxa de conservação da area, q mantem banheiros e área de camping, q me parece q não podem mais serem utilizadas.

Antigamente era permitido um numero de acampamentos para  aqueles que querem curtir mais o espaço. Queria mto ter feito, pra ter uma longa exposição da praia com um ceu estrelado ou algo do tipo, mas fui informado que não é mais possível. Porém… verifique a possibilidade! Vai que…

Esta praia LOTA. Lota tipo balada fervente em SP. Por isso recomendo fortemente que se feche um barco que saia bem cedo (os “private” são bem flexíveis qto horário) acorde MTO cedo, tipo 6 da matina, e chegue antes das 7 lá. Só assim vc terá UM POUCO de paz neste lugar. Após as 9:30 começa a ficar MTO cheio.

Conhecendo a ilha a pé/de taxi boat – Reserve pelo menos dois dias para conhecer todas as praias da ilha. Não são muitas, as principais vc vai ver de longe, mas tem mtas q vc so vai descobrir perguntando pros locais como chegar. Ai vale uma conversa onde vc estiver hospedado ou uma boa memorização qdo vc estiver passeando em volta da ilha, pra lembrar do local, descreve-lo e conseguir orientação pra chegar la.

Durante o passeio pela estrada asfaltada vc irá encontrar diversos caminhos para mirantes, mas sempre obedeça uma regra principal: nunca suba durante o final da tarde. Pegar uma trilha ingrime no escuro é uma merda e caso vc tenha q pegar tb a trilha pra ton sai bay, é recomendavel q vc encontre algum lugar para passar a noite.

Vc irá encontrar alguns poucos pequenos bares e mercados em alguns pontos da caminhada, por isso leve uma garrafa de água, um pouquinho de comida, não precisa de nada pesado, e não se preocupe mto.

Os resorts tb merecem serem conhecidos, mesmo q de passagem.

View Point – Sim, é uma merda subir tudo aquilo a pé. Da mo trampo, é BEM ingrime, cansa. MAS EM COMPENSAÇÃO, a vista do por do sol é impressionante e IMPERDÍVEL.

Passeio de barco pela região – Existem DIVERSOS passeios de barco, private ou em grupos que pode circular pela região de Phi Phi don, e toda região do parque nacional e ir ate mais longe, caso seja combinado. O que eu recomendo é juntar um grupinho de umas 5-10 pessoas, q tenha afinidade, fechem um barco por um dia e saia por ai sem compromisso. Ai vcs entram e saem de cada lugar de acordo com sua vontade, fazem snorkelling o qto vcs quiserem, vão pra onde quiserem e bundam o quanto quiserem.

Só tenham em mente que existem as lanchas e existem os barquinhos “long tail”. Pra um grupo do tamanho q sugeri, um long tail é lento (ok… ele é lento normalmente, ate com uma so pessoa dentro), e é relativamente instavel. Por isso uma lancha pode trazer mais segurança, mais conforto, e mais tranquilidade, bem como uma geladeira cheia de liquidos.

Nas minhas frescuras de segurança, é ok ir de long tail de um lado pro outro da ilha, de uma baia ate a outra, porem é melhor evitar long tails em viagens mais longas. Não acho legal nem ir ate Phi Phi leh neles.





Angkor – Siem Reap – Camboja

22 05 2015

Angkor é uma área que abriga uma grande quantidade de FANTASTICOS templos religiosos, hindu e budista, construidos entre 900 e 1200 DC, na área da atual cidade de Siem Reap pelo povo da cultura Khmer.

O acesso é bem simples a partir de onibus ou avião. Um trajeto bem interessante eh entrar no Camboja pelo Vietnã, de onibus, a partir da cidade de Ho Chi Minh, antiga Saigon. Embarque para Phnom Penh, a capital do pais, passe alguns dias lá e siga para Siem Reap, de onibus ou avião. E de Siem Reap vc consegue voos para qualquer área do sudeste asiatico.

Quando digo que é FANTASTICO, não estou de brincadeira. No caso da minha viagem, passei o “holiday in Cambodia”, mais especificamente o natal, e já estava a mais de 10 dias no oriente. Havia passado por MUITOS templos. MUITOS. Todos lindos, majestosos e gigantescos, deixando o templo de salomão no chinelo… ok… o templo de salomão não é uma estrutura arquitetônica digna de nota… Mas é tudo muito grande, muito bem feito, com muito esmero e um bom gosto indiscutivel. E os templos de angkor mostraram que tudo pode atingir um novo patamar. Não é a toa que é um patrimônio da UNESCO.

 

Entrada do Angkor Wat

Acreditem! Esta vazio. Fica muito mais cheio.

Aviso tambem que devido a grandiosidade do local, é importante reservar um bom tempo para visitar o essencial(que vai estar MTO lotado) e conseguir conhecer outros espaços menos pop, mas igualmente interessantes. Angkor Wat, por exemplo, dificilmente está tranquilo. Mas não da pra deixar de visitar o maior templo do mundo.

Ficar menos de 5 dias é se restringir a conhecer apenas o básico do passeio. Aqui é muito diferente de Machu Pichu, por exemplo, tanto em tamanho quanto em tempo gasto (mas não em quantidade de pessoas). Insisto nessa parte pq eu gosto mto de filmar e fotografar e eu QUERO imagens boas do local, e alem da multidão atrapalhar minhas fotos… EU ODEIO MULTIDÕES. Mas a grandiosidade dos templos mais “pop” tira completamente o incomodo que a multidão traz. O que quero dizer é q não da pra deixar de visitar tudo, so que alguns templos menores vão te trazer uma experiencia completamente diferente.

A Cidade – Siem Reap

Vou dizer a verdade: não tenho muita ideia do que é a cidade, por que minha estadia foi muito rapida. Fui para os passeios e voltavamos para a cidade apenas para jantar e dormir. Portanto so tenho um bom ponto pra alertar: Aceitam dolar americano em qualquer local.

Os templos

Aqui vou citar os templos “básicos”, onde vai ter gente pra cacete, etc, mas são imperdíveis. A primeira informação importante é saber que pra entrar na área dos templos tem uma taxa, são vendidos tickets pra 1, 3 ou mais dias, o seu meio de transporte vai parar la pra vc regularizar sua situação, ai vc pode seguir caminho.

Para um melhor passeio, recomendo chegar bem cedo. Assim vc evita as hordas de turistas bizorrando. Claro que vc e eu não somos os únicos a seguir esta idéia genial, e vai ter muita gente q pensou exatamente assim, porém ainda assim vc terá mais conforto, e quando as hordas chegarem, vc estará um pouco a frente deles, irá acabar antes, e poderá almoçar um pouco antes… assim vc poderá chegar no proximo templo enquanto as hordas estão almoçando e assim suscessivamente.

Uma recomendação é pegar um tuk tuk de confiança e fechar o dia e ele te leva pra onde vc quiser, o que normalmente são 2 ou 3 atrações por dia. Feche o preço antes e pague somente no final do dia, pra evitar surpresas desagradáveis. No nosso caso pagavamos cerca de 50 dolares por dia, um valor meio “alto”, mas eramos 3 pessoas e a gente gostou mto do motorista, q tinha cerca de 15 anos e era mto gente boa, extremamente educado e mereceu o agrado (q ca entre nos não é mto dinheiro pra gente).

A arquitetura básica dos templos

Os templos são construidos em pedra, normalmente laterita, arenito, ou uma mistura deles, onde são feitas gravuras de baixo relevo com muita precisão, muitas vezes citando passagens mitologicas e mandalas, que representam o universo hindu. E em alguns templos essas gravuras foram trocadas de uma divindade para outra, de uma religião pra outra, a gosto do rei vigente.

Outros materiais tambem eram utilizados na construção, porem não sobreviveram ao tempo.

As portas muitas vezes possuem grandes pedimentos que também são locais de escolha pra colocar grandes adornos e representações de passagens mitologicas. E não são apenas nagas e garudas, como muitas vezes vemos em templos de outras regiões. Vale ficar atento.

Os templos possuem uma forma de construção muito interessante. O santuario propriamente dito, chamado por eles de “prasat”, são compostos de 5 niveis, onde o nivel imediatamente superior é o nivel inferior com tamanho reduzido, sendo q o ultimo nivel muitas vezes é a representação de uma flor de lótus.

Os espaços dos templos são organizados como uma montanha, com a região central reservada para o monte Meru, que dentro da mitologia oriental é um monte com 5 picos que representa o centro do mundo fisico e metafisico. Da mesma forma, quase todos os templos e santuarios tem suas portas principais para o leste, assim a luz do sol ilumina logo de manhã.

E como todo templo no oriente, é importante não cometer gafes. garanta que suas vestimentas são adequadas, sempre cobrindo os joelhos e ombros muito bem, não tire a camiseta (pra eles isso é praticamente andar pelado) e se divirta.

Os templos imperdíveis

Angkor Thom/Bayon

A cidade Angkor Thom foi capital do império Khmer, adornado com muitos e misteriosos rostos estampando torres de pedra, tem como centro o templo Bayon. De quem são essas faces? Budah? Brahma? Shiva? Ninguem tem certeza. Aparentemente existem 3 tipos de faces, um homem, uma pessoa com traços femininos e uma pessoa com uma coroa, e atualmente se propõem que essas faces tem a ver com o budismo Vajrayana, escola que teve muita influencia no rei da época da construção do templo.

Este foi um dos lugares onde diversas imagens de buda foram modificadas para referencias hinduistas.

O local vem sendo cuidado e restaurado por equipes que tentam utilizar tecnicas “originais”, como era feito na época, para manter ao máximo a originalidade do local. Existem diversas controvérsias sobre o assunto, ja que locais como Ta Prohm está sendo restaurado e para muitos o charme era justamente manter  tudo em ruinas.

Um dos pontos levados em consideração é a pressão e o desgaste que o turismo causa nessas áreas. são cerca de 2 milhões de visitantes anualmente, em visitas concentradas em poucos sitios. De uma forma ou de outra, o espaço é impressionante, em ruinas ou não.

Angkor Wat

Este é o maior templo. Acho que as imagens podem falar por mim.

Ta Prohm

Este é o templo mais famoso no ocidente por que foi utilizado como locação para o filme “Tomb Raider”. Eu não assisti, mas so pelas vista do local, o resultado pode ser visto no clipe (de uns poucos segundos) abaixo.

(não sei se tem mais, mas cansei de procurar no Youtube!

Este é um dos templo ainda mantido parcialmente em ruínas e isso da um ar muitissimo interessante ao local, tipo um ar de explorar um local completamente novo.

O que não fazer?

So fizemos um passeio que foi péssimo, na minha opinião, que foi a visita a cidade flutuante. Apesar do video aqui exposto, eu achei o lugar péssimo, toda parada visa te sensibilizar pra deixar algumas dezenas de dolares para alguma coisa de caridade que parece muito mais ser um golpe. Não recomendo.

A única compra válida!

Por último… recomendo a todos os visitantes deste complexo, que compre um bom guia do local. Eu encontrei no aeroporto o “Focusing on the Angkor Temples: the guidebook”, de Michel Petrotchenko. Considero um guia definitivo (não q eu tenha feito um levantamento bibliográfico) e traz muita informação q acrescenta quanto a viagem, especialmente qto a natureza e significado das inscrições nos muros das construções.

isbn – 978-616-361-118-5





Ha Long Bay – Vietnam

20 05 2015

Ha Long Bay (“onde o dragão entra no mar”) é  uma região próxima a Hanoi, onde as questões de topografia/geologia se mostram mais incríveis. Como o terreno se formou muito recentemente, as montanhas calcareas MUITO ingrimes e rochosas pulam aqui como se fossem lanças. E pela importância tanto na beleza, quanto na biodiversidade, esta baia foi declarada patrimonio mundial da UNESCO. Nada mais justo.

Vale comentar tambem que a área é extremamente estratégica para o Vietnam, a ponto de ser um ponto de grande interesse durante a guerra contra os EUA. E não é dificil de ver pq, já que a grande quantidade de montanhas geram muita defesa e dificulta uma batalha maritma.

A baia pode ser visitada em cruzeiros q variam de duração. O barco vai pingando de lugar em lugar, e basicamente temos passeios em praias, cavernas, remadas por áreas interessantes, bem como avistamento de animais.

Contratamos um cruzeiro aqui no Brasil, com ajuda do trip advisor e saimos do país com tudo pago e pronto. Escolha bem o barco pq vc pode contratar um com estrutura bem porcaria.

Uma van nos pegou no hotel, em Hanoi, e nos levou ate o porto em Ha Long Bay, numa viagem demorada por causa dos limites de velocidade, não pela distância. Esta parte foi legal pra dar uma relaxada e ver pela janela do carro a rotina do povo. Nosso guia tb conversou mto com a gente tanto sobre a historia recente e antiga do Vietnam, quanto sobre questões sociais dos pescadores (um interesse meu, como podem ver em outros posts aqui mesmo).

Um lance muito interessante por lá, é q os pescadores moram literalmente no mar , nos barcos, onde eles possuem toda estrutura de uma pequena casa. São barcos pequenos, com 4 ou 5 metros de comprimento por 3 de largura, com uma área coberta e toda uma estrutura para organizar a vida no mar, como estrutura para levantar lonas e locals onde ficam guardados os utensilios, comida, roupas, etc.

Durante a navagação é comum ver pequenos barcos com familias inteiras e com o cair da noite, com alguma sorte podemos acompanhar a familia desmontando a estrutura de pesca e preparando a estrutura pra cozinhar ou dormir.

Chegando no porto, o embarque é fácil e rápido. Normalmente vc vai pra um barco de transfer, faz um passeio curto para dar aquela desestressada, ai sim embarca no barco onde vc irá passar as noites e etc.

As atrações são um tanto padronizadas e vc não tem um poder muito grande pra determinar coisas diferentes do básico. Em geral, no passeio de 3 dias, vc vai visitar coconut island, fazer 2 ou 3 passeios com caiaque, subir em algum bom mirante pra ver o por do sol e, pra finalizar, visitar uma caverna.

A parte que mais me interessou nos passeios foram caminhadas em regiões arenosas, e rasas, após um pouco de remo. La tive contato com diversas espécies de corais em ambiente natural. Pros aquaristas, este deve ser um momento especial!

Esta região não tem mto o que falar, mas muito o que ver.

O único passeio q eu achei meio dispensável, especificamente por causa do excesso brutal de turistas, foi a Wonder Cave. Legal é, mas qdo tem mta gente se acotovelando a coisa se torna meio mala. Porem, dependendo do horário é uma boa pedida.

Pra mim este foi um dos pontos altos E um dos pontos baixos da viagem. E já explico o porque: vacilei com minha bagagem e sumiram 100 dolares. Portanto: dinheiro? Na pochete, junto de vc. SEMPRE. E como temos sempre td muito programado, não da pra sair atras, chamar policia e o cacete a 4, acabei amarrado por isso.





Hanoi – capital do Vietnã

18 05 2015

Hanoi eh a capital do Vietnã,  a porta de entrada pro pais comunista q mais povoou a cinematografia americana nos anos 70. Com uma extensão que faz fronteira com a China, Laos e Camboja, é um país de geografia única.

Algumas áreas extremamente montanhosas, grandes planícies, td geologicamente recente, com alguns milhões de anos, o que resulta em montanhas altas, ingrimes, rochosas, que dão um visual único.

vista de Trang An

Trang an é uma das áreas imperdíveis no Vietnam!

Uma das coisas mais legais q vc pode ver, no avião, são as montanhas, pela manhã, com uma nevoa de vapor d’agua subindo lentamente. Isto complica muito a prática da fotografia durante o verão, onde as vezes o vapor se condensa em elementos das objetivas, especialmente nas proximidades do litoral, onde ainda existe vegetação abundante.

Com um transito CAOTICO, dominado por pequenas motos e scooters, deve-se tomar muito cuidado. Mas não é tão dificil quanto parece, é só não dar passo para trás. Vá sempre para frente que o trânsito se encarrega de se desviar.

Primeiros passos

Um dos pontos mais importantes antes de qquer coisa, é saber que o mais seguro é sair do Brasil com seu visto ok. Isso vai evitar que vc tenha um monte de chatices e possibilidades de cair em golpe. Basicamente vc irá enviar seu passaporte via correio para Brasília, com comprovante de pagamento das taxas, reservas de sua hospedagem, e eles irão te devolver via sedex ou sedex-10. Sim. Pode dar merda. A segunda opção é vc ir até o consulado e fazer tudo pessoalmente.

As instruções e etc podem ser encontradas no site do consulado do Vietnã no Br, deem uma googlada! E fiquem muito espertos, por que estas rápidas orientações que estou passando, foi o que fiz em 2014. As regras podem mudar.

Chegando lá

O desembarque foi um tanto demorado, mas foi suave. Esperava muito mais dor de cabeça. Apenas as filas que se formam quando ocorrem muitos desembarques internacionais simultaneos.

Existem muitos relatos de golpes e problemas com taxis, os hóteis possuem serviço de transfer. É so chegar no país, entrar em contato com o hotel e em algum tempo eles chegam lá.

Um lance que vai deixar os viajantes um pouco mais felizes é que, apesar da lingua vietnamita, eles utilizam o alfabeto romano/latino, o que facilita a localização com ajuda das placas, mesmo com o fato da população não dominar tão bem o ingles.

O ponto mais estranho, é q o hotel vai insistir pra que você deixe o seu passaporte no cofre deles, na recepção. Acabamos aceitando qdo percebemos que é um procedimento comum.

Arquitetura

o que mais me chamou a atenção no Vietnã foi a arquitetura, que é extremamente diferenciada do resto do mundo. Não me refiro a grandes edificações ou marcos, mas sim as construções onde as pessoas vivem. Especialmente no norte do país, os terrenos são relativamente curtos, com 4-5 metros de frente e fundos, com mais de 2 andares. Já no sul, os terrenos são mais largos de frente, num esquema q estamos mais acostumados, mais “ocidentalizado”.

Afastando-se do centro, é muito comum ver a agricultura e criação de aves (mais especificamente patos) entremeada entre as edificações. Num esquema tipo “comercio, casa, casa, comercio, plantação de arroz, casa, comercio, criação de patos…” ocorre uma integração entre todas as esferas produtivas.

Compras

Especificamente a cidade de Hanoi é uma excelente opção para compras especificamente de roupas. Na região do centro da cidade existe uma infinidade de lojas de diversas marcas, da Doc Martens a Vans, vendendo produtos a preços quase tão bons quanto os dos EUA.

Comida

Como toda a indochina, o vietnã tem comida farta e barata. Da pra comer em qualquer local que tenha bastante gente. Porem, aqui tenho uma recomendação mais interessante: o cafe Cau Go. Tem uma vista fantastica do lago Hoan Kiem. Em termos de comida, gastamos cerca de 25 dolares por pessoa, fomos muito bem servidos, a comida estava excelente. Tanto, que voltamos mais 3 vezes lá.

Vista do lago Ho Kiem

Vista do lago Ho kiem a partir do cafe cau go.

Massagem 

A massagem aqui é fantástica. Uma das pessoas que estava comigo na viagem estava com um problema bem sério de esporão no calcaneo, uma situação bem chata e dolorida. Inicialmente ele achava q a dor era por causa de bolhas, mas mesmo depois de tratadas, a dor persistia. Nisso conversando com o pessoal, alguem recomendou q ele fosse numa massagem pelo menos 3 vezes. E isto deu uma boa aliviada no problema, o que inclusive melhorou o humor dele durante o resto da viagem.

Após longas caminhadas, se de o luxo de gastar um dinheirinho e um tempo numa massagem. é relativamente mais caro do que em outros paises do sudeste asiatico, mas ainda assim… vale muito a pena.

Passeios

Algo que é muito interessante no Vietnã é a organização do turismo. Os hotéis possuem livros com MUITAS opções de passeios. Isto traz vantagens e desvantagens, já que os passeios nesse esquema são no esquema “dar uma olhadela e vamos pra próxima”. Alguns locais não são facilmente visitáveis sem este esquema, pois se localizam fora da cidade.

No caso da minha viagem, acabei curtindo mto mais a cidade, zanzando pelo centro, pelo french quarter, onde ficam diversos prédios governamentais. Esta parte de city tour é bem tranquilo, é muito mais fácil vc c informar com o hotel. Mas nao deixe de visitar a estatua de Lenin, o mausoleu de Ho Chi Minh, a prisão de Hoa lo, etc.

Bike pelo centro da cidade – na boa. eu acho o trânsito excessivamente caotico. Não tive coragem.

Trang an 

Está é uma das mais bonitas paisagens do Vietnam! Localizado proximo ao delta do Red river, a topografia “nova” mostra muito o que é o país, com aclives praticamente verticais e uma densa floresta, tanto fora da água, quanto dentro, o que é um atrativo a mais pros amantes das plantas aquaticas, como eu.

O complexo de rios e cavernas é visitado via pequenos barcos que vao navegando lentamente pelo rio, num passeio de aproximadamente 2 horas.

Este local é considerado patrimonio da UNESCO, possui muitas evidencias antiquissimas de presença humana. Imperdivel

Bai Dinh temple

Este é um dos pontos preferidos de toda minha viagem! Este templo é simplesmente fantastico. Inicialmente descemos a uma certa distancia do complexo propriamente dito. Paga-se a taxa, embarca-se em um carro eletrico que leva ate a entrada.

A partir dai começa a subida admirando milhares de pequenas estatuas douradas de buda e estatuas gigantes que me aparentam ser representantes dos diversos passos para se tornar “iluminado”.

Depois de mtos degraus, vc chega a um pequeno pagoda com um enorme sino e uma visão muito bonita de toda região. Subindo mais alguns muitos degraus, chega a pavilhões, que ostentam pura beleza. O tamanho de cada estatua de Buda, das deusas e etc, impressionam. Como não pude fazer imagens, deem uma olhada no trip advisor, onde tem uma pequena seleção que da pra vc sentir o drama.

Ba dihn temple

Esta foi a única forma q consegui tirar uma imagem de uma reliquia dentro dos pavilhões de Bai

A parte TRISTE é q a melhor parte da viagem, q é no interior dos pagodas, não é permitido fazer imagens. Os q fotografam com cels conseguem burlar as regras, mas com uma camera grande, com objetivas penduradas e filmando, não consegui nenhuma lembrança pra mostrar pra vcs.





Borboletário “aguias da serra”

18 05 2015

Um tanto distante do centro de SP,  o borboletário aguias da serra é um dos maiores do Brasil.

O local possui uma infraestrutura muito boa, com dormitórios, lanchonete, diversos parquinhos e alguns animais numa fazendinha. Isto tudo torna o espaço muito adequado para famílias com crianças e traz um conforto para os pais.

No espaco dedicado as borboletas,  ocorre um trabalho de educacao ambiental, com diversos cartazes abordando a biologia geral dos lepidopteros.

Posteriormente, é apresentada a estrutura onde sao criadas as borboletas, bem como tem-se a oportunidade de ver todas as fases do ciclo de vida delas, de segurar algumas lagartas, ver de perto os ovos e pupas.

Dentro da estufa onde sao mantidas as borboletas, q é o auge da visita, deve-se tomar cuidado para não pisar nelas. Sao mais de 20 especies, o espaço eh focado em espécies da mata atlântica.

O horario de funcionamento eh das 10-15 hs, pq é o período onde as borboletas estao em maior atividade. Fora do horario, as borboletas se recolhem e o borboletário propriamente dito perde a graça.

Por causa disso,  para otimizar o tempo e aproveitar mais a viagem, recomendo tambem um passeio por atracoes prozimas, como o templo Quan-inn, que nao eh um bom passeio para criancas,  mas ok. Hehe





Bangkok, Tailandia: básico pra turistas

14 05 2015

Uma das portas de entrada para o sudeste asiático é a cidade de Bangkok, capital da Tailandia, uma das maiores e mais populosa cidades do oriente. São dois aeroportos principais onde você pode desembarcar em voos internacionais “normais”, o aeroporto internacional Don Mueang ou o Suvarnabhumi, ambos servidos por linha de trem.

No meu caso optei por não utiliza-las no meu desembarque, preferi o serviço de taxi, por que a viagem foi muito cansativa e não estava muito disposto a pensar e cair em roubadas. Depois fui aprender que nao é um bicho de sete cabeças e q a malha ferroviária é bem simples. Apesar da dificuldade imposta pelo alfabeto, a grande maioria das placas tem tambem a “tradução” em inglês, ajudando muito. Outra boa noticia: em Bangkok a população fala razoavelmente bem inglês, portanto da pra se virar. Mas não se empolgue. Da pra se virar, nao pra manter uma comunicação excelente com a população.

Bangkok - Tailandia

Palácio Imperial

Um ponto importante a ser ressaltado é que o serviço de taxi no aeroporto é bem razoável. Você desembarca, pega uma fila (invariavelmente enorme) num ponto de taxi coletivo, onde vc mostra para o atendente pra onde vai, so então toma o taxi, evitando problemas com a língua. Apesar disso, estamos falando de uma cidade GIGANTE cheia de becos. Isso significa que sem um mapa, o taxista pode ter dificuldades de encontrar o endereço, ainda mais se não estiver escrito no alfabeto deles.

DICA PRECIOSA: sempre leve um impresso (ou escrito por algum local) com o endereço da sua hospedagem escrita no alfabeto tailandes.

E logo de inicio você vai notar que Bangkok é uma mistura única. Permeada de templos, com um rio navegável, apesar de bem sujo (meus companheiros de viagem apelidaram o passeio de barco pelo rio Chao Phraya de “role no esgoto”), e uma mistura impressionante de concreto, na sua melhor E pior acepção, com o tradicionalismo oriental.


42 segundos de Bangkok, só pra dar um gostinho!

Aproveite pra arrumar um chip pro seu celular. Os preços são baixos, e vai valer a pena, especialmente qdo vc estiver meio perdido e puder acessar o google maps, te deixará muito feliz!

Segurança

A Tailandia é um país de segurança relativa para os turistas. Ocorrem crimes envolvendo turistas esporadicamente. As regras básicas de segurança sempre devem ser seguidas: não descuide dos seus pertences, não inventa de ir pra bizarrice, não da moral pra quem te da informação que vc não requisitou.

Em geral os golpes são mto primários e completamente pateticos. Mas a real é q vc está de ferias e mtas vezes o “relax” te faz descuidar. Portanto tenha isso em mente. No caso desses pequenos delitos, a tailandia tem uma policia especializada em turismo, o policiamento irá te ajudar com isso, e em locais com fluxo intenso de turistas, normalmente tem uma viatura sempre proxima.

Previsão do tempo

O periodo que menos chove no sudeste asiático, no geral, é entre novembro e fevereiro, q é basicamente o inverno. O clima de monções, como lembramos da escola, torna o verão extremamente chuvoso.

SIM. é um periodo de alta temporada, o que significa passagem mais cara… :/

No caso de Bangkok, a temperatura está sempre alta, independente da época do ano. Em outras localidades, como em Chiang mai/ Chiang Rai, um moleton é o suficiente para os dias mais frios.

Localizações Básicas

Um ponto de extrema importância é a localização do seu hotel. Eu fiquei e recomendo fortemente a região de Dusit e Phra Nakhon e seus arredores. Nestes locais se concentram um bom numero de locais turísticos, muitos deles imperdíveis, em roteiros que podem ser feitos a pé, nos primeiros dias, enquanto vc se recupera da viagem.

A proximidade com locais propriamente turisticos, como a Khaosan road, como mtas “backpackers areas, é um lugar mais adequado para “party animals” é bem interessante tambem. Porem, caso vc queira ver a Tailandia, e não jovens europeus sedentos por putaria e bizarrices q não são bem tradições, como escorpiões fritos (aviso: vão cobrar pra vc tirar foto deles), evite esta rua e as ruas próximas. Ainda mais se vc quiser ter boas noites de sono.

Transporte

O transito em Bangkok é CAOTICO. O uso grande de pequenas motos e tuk tuks torna ele pior ainda. Porem, a malha ferroviária é bem razoável e acaba te deixando em qquer lugar q vc precise. Com a ajuda de trem/metro e taxis e tuk tuks, vc acaba indo pra qquer lugar q precisar.


uma viagem de tuk tuk durante a noite!

Outro ponto importante é: os taxistas nao vão querer te levar pra nenhum lugar próximo. Sim…. tuk tuks são bem perigosos. Sim, vc provavelmente vai ver algum acidente com eles. Mas é impossível não utiliza-los. Tome os cuidados de praxe, não utilize tuk tuks superlotados, va no máximo em 3 pessoas, peça pro motorista pegar leve caso ele vá mto rápido e assuma parte dos riscos.

Dica preciosa: nunca feche um preço com o tuk tuk pra ele te levar pra varios lugares. Eles vão te dar um golpe IDIOTA te levando pra lojas. Se a pessoa fica 10 min nessa loja, o motorista ganha um ticket q vale tipo um tanque de gasolina. SEMPRE feche o preço pra ir ate um lugar X e ponto final. Por mais q não seja um golpe GOLPE, com gdes prejuizos, vai te fazer discutir com o motorista, e vc não está no seu pais. Melhor q seja tudo ok.

Para localidades mais longes do seu hotel, vc vai invariavelmente de tuk tuk para o metro/trem, desce numa estação e de tuk tuk pro ponto final.

Dica preciosa repetida, pois esta é essencial: sempre leve um impresso (ou escrito por algum local) com o endereço da sua hospedagem e do seu destino escrito no alfabeto tailandes.

Compras

A Tailandia não é conhecida como um ponto extremamente propício pra compras, neste sentido achei o vietnã muito mais interessante. Porem vc irá encontrar barganhas e muitos items interessantissimos a venda por bons preços. E eles gostam muito de pechinchar.

No caso de itens mais caros, em shoppings e similares, os preços acabam sendo aqueles mesmos q estão marcados, mas no comercio de rua, comida e tal, a flexibilidade é bem maior.

O artesanato é extremamente interessante. A mitologia e simbologia é muito rica e diferente do que temos no ocidente.

Para os amantes das miniaturas e estátuas, Bangkok possui duas lojas fantasticas, onde da pra encontrar material bem legal por um bom preço.

Cultura

Infelizmente não conheci muito dos espaços culturais da cidade. Apenas uma atração, q é, na minha opinião, IMPERDIVEL: o MOCA (Museu de arte contemporanea de Bangkok). O espaço tem uma arquitetura muitissimo interessante, obras que vão interessar os mais diversos gostos, desde artes pictóricas mais puxadas pro cartoon, umas obras q parecem capa da revista “Heavy Metal”, arte abstrata… Pros amantes da arte em geral é imperdível.

Gastronomia/comida

VC ESTA NO ORIENTE. Desencana de comer filé com fritas. A comida mais “segura” aqui é o pad thai “no spice” de pato ou frango. Escolha um lugar movimentado, com mtos locais, e manda ver.

Na rua, uma boa refeição sai bem barato, com menos de 5 dolares, vc come razoavelmente bem (normalmente a porção é tipo um chawan, aquelas tigelinhas orientais, cheias. Pode parecer pouco, mas mtas vezes é o suficiente) e toma um refrigerante ou coisa que o valha. Neste momento percebi como a gente come excessivamente no Brasil.

Claro que existe espaço pra comida em bons restaurantes, porem eu não inclui isso na minha viagem. Como um bom amante da culinária japonesa, recomendo que vcs provem frutos do mar em algum bom restaurante japonês. Você esta na Tailandia, no oceano Indico… Os sabores são diferentes. Não é barato, mas é válido CASO VC SEJA FÃ de sashimi, como eu.

Fauna e Flora

A fauna e flora do sudeste asiático é muito particular. Nos passeios pelo Chao phraya você terá a oportunidade de ver diversos Varanus salvator, uma espécie de lagarto de grande porte que habita toda região do sudeste asiático, especialmente áreas próximas a água.

Elefantes são muito comuns na região, mas normalmente você não os verá dentro de Bangkok.

Os animais mais emblemáticos do sudeste asiático são os pangolins, porem você dificilmente os verá, pois além de ameaçados de extinção são extremamente dificeis de serem mantidos em cativeiro.

Um passeio interessante neste sentido é o Zoo em Dusit e o aquario proximo a siam square. Como a fauna é completamente diferente das q temos nas américas, então as “coleções” são muito exóticas.

Vale lembrar que a maioria dos zoos são instituições de amparo animal, de educação e institutos de pesquisa. Obviamente q tem lugar nojento q dopa os bichos pra babaca tirar foto abraçando o leão, mas AINDA BEM q são poucas instituições. POREM… Isto ocorre em outros lugares da tailandia, onde vc vai brincar com tigre sedado. Se vc curte animais, seja responsável pelo q vc faz e evite incentivar a bizarrice.

Atrações: não perca!

Os templos são certamente algo que não pode ser perdido na Tailandia, porem é importante ressaltar que para o tempo curto (e pro meu gosto tb), os templos acabam sendo “mais do mesmo”. Eles arquitetonicamente possuem planos de construção muito semelhantes. São espaços internos sem pilares, no fundo um grande altar, a porta da frente ampla mtas vezes apontando pra onde nasce o sol, pé direito bem alto, mtos adornos evocando a cultura/folclore oriental.

E acredite… tem tanto templo q vc vai cansar de ver. Por isso, caso vc não tenha mto tempo a disposição não esqueça dos passeios “alternativos” e foque suas visitas nos templos mais importantes, com atrações mais chamativas.

DICA PRECIOSA: Não descuide das vestimentas. Especialmente nos templos é importante manter sempre os joelhos e os ombros cobertos. O ideal é q vc esteja sempre de calça e camiseta. Na maioria dos locais eles alugam lenços e calças pra vc usar por cima.

Buda deitado

buda de jade – Wat Phra Kaew

palácio imperial

Templo do Amanhecer – Wat Arun

Wat Arun é um templo budista cheio de referencias hinduístas (como a maior parte dos templos no sudeste asiático) construído em meados do seculo 17 que se localiza nas margens do Chao Phraya, muito conhecido e praticamente um dos símbolos da Tailândia.

Wat Arun

Templo do Amanhecer – Bangkok – Tailandia

Ele é constituido por varias torres ricamente decoradas, sendo que a central, que tanto chama a atenção de longe e geram uma vista imperdivel durante o amanhecer e o anoitecer, foi construída no século 19.

A torre central possui três niveis visitáveis. O visitante sobe degrau por degrau (bem ingrimes, diga-se de passagem) e lá pode aproveitar a vista do Chao Phraya e de Bangkok.

Passeio de barco no rio Chao Phraya

Este passeio foi um tanto “polêmico” entre as pessoas que me acompanharam nesta viagem. Foi unanime que é um passeio interessante, mas a questão é especialmente o tempo do passeio. Eles são vendidos em passeios de 1 ou 2 horas. O curto te leva a um passeio sem entrar pela parte mais interessante do rio, pela região com mais templos e casas.

Tenha em mente que o rio não é extremamente poluído, mas banha uma das maiores cidades do mundo. O q quero dizer é q o rio é “sujo”, apesar de navegável e possuir vida. Tanto, que apelidaram o passeio de “role no esgoto”.

Na minha singela opinião, a segunda parte do passeio, onde visitamos áreas mais próximas a região de moradia, com mais verde, é a unica q vale a pena. Porem, não tem como chegar a parte mais interna do rio sem passar por toda parte q eu julgo mais desinteressante.

Como podemos ver no começo do vídeo, um local fácil para contratar este passeio é na área onde vc atravessa o Chao Phraya em direção ao templo do amanhecer, o Wat Arun.

Atrações: não recomendo

Ponte do rio Kway

Compras no mercado flutuante

Os mercados flutuantes não tem absolutamente nada de interessante alem de ser… flutuante. São vários barcos com produtos absolutamente normais e sem nada de diferente. Se estiver num roteiro com outros passeios mais interessantes, ok. A oportunidade de fazer uma comprinha, comer algo, pode ser válida. caso contrário, não está perdendo nada.





Mesonauta festivus – Acará Festivo

1 05 2015

O acará festivo (Cichlasoma festivum) ou Mesonauta festivus, q é o sinonimo atualmente aceito), é o nome popular de varias espécies bem parecidas q aparecem de forma frequente no comércio de peixes ornamentais. Todas elas possuem mais ou menos as mesmas necessidades no cativeiro e atingem o mesmo tamanho, cerca de 15 cm no cativeiro e 20 cm na natureza.

condições básicas:

ph – ácido

agua mole

temperatura – + de 25C

minimo de 100 litros

Como muitos ciclideos, este é um peixe razoavelmente agressivo com qualquer companheiro no aquario, porem se mantido sozinho, ele irá se tornar extremamente timido, não se alimentará a contento e isso gera diversos problemas. por isso é importante mante-los com dither fishes, evitando assim estes inconvenientes. da mesma forma, aquarios bem plantados, com diversos locais para serem utilizados como esconderijo são muito interessantes.

Ao escolher peixes para dividir o aquario com acará festivo, é importante pensar sempre que eles são constantemente atacados pelos festivos. Não caia na historia de que são peixes tranquilos. eles são valentões e predadores, que costumam consumir peixes menores no seu ambiente natural, como neons. Ele vai aproveitar toda oportunidade para agredir e perseguir peixes menores. portanto, é importante utilizar peixes resistentes como dither fishes de festivos. Meu aquario possui um cardume de sumatras, q tambem não deixam as agressoes quietas e sempre q podem dão uma mordiscada nas barbatanas do festivo.

Aceitam comida de qualquer natureza, são onivoros. Este é um detalhe importante, por que significa que não irão exitar em comer tanto os companheiros menores, quanto mordiscar suas plantas. portanto, tome muito cuidado em aquarios plantados. Ele muito provavelmente vai atacar sim aquela sua Echinodorus linda. A vantagem é q vc poderá alimenta-lo facilmente com qualquer ração industrial. Porem é importante garantir que ele terá acesso tanto a alimentos de origem vegetal quanto animal.

Apesar desta espécie ter uma manutenção bem simples, é importante ressaltar que são muito sensiveis a poluentes. Portanto, é importante manter a manutenção em dia, trocas de aguas parciais no minimo mensais, limpeza de filtros e cuidados com o acumulo das excretas nitrogenadas para que não ocorram problemas.

Pra distinguir os sexos é necessario mta experiencia. Dizem que os machos sao mais “bicudos” e possuem nadadeiras peitorais mais longas. O exemplar do video é comprovadamente uma femea. Sei disso pq ela ja desovou no meu aquario.

A reprodução em cativeiro é bem fácil no Brasil, onde a natureza (e um termostato nos estados mais frios) se encarrega de deixar a agua sempre acima de 25C e fornece naturalmente uma diferença de luminosidade (fotoperiodo) que vai induzir a produção de gametas.

Mesonauta festivus cuidando dos ovos

Mesonauta festivus cuidando dos ovos depositados num tronco.

O casal irá utilizar pedras ou folhas largas pra depositar os ovos. Em cerca de 3 dias eles nascem e ficam nas folhas e pedras. em uma semana eles começam a nadar e o casal irá guardar os filhotes. Os alevinos costumam aceitar comida industrializada, caso isto não aconteça, tente incentivar com comida viva, como artemia recem nascida.








Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 260 outros seguidores