O Aquario de São Paulo

8 06 2015

Antes de qquer coisa, como sei que tem mta gente que é contra as instituições que mantem animais cativos em exposição (claro, ne? Pq o q os olhos não veem, o coração não sente.), acho importante a leitura deste texto, que trata justamente da importância de tais locais. Estamos numa era de MTO radicalismo, coisa q em geral é bem burra… mas quem quiser pensar um pouco, tem ai uns comentários pertinentes sobre como eu vejo.

Outra coisa: não passo pano pra instituição zuada q maltrata animais. Não vou em locais q dopam animais nem q tenham suspeita de atitudes não éticas. A escolha de apoiar ou não é individual. Eu apoio instituições que visam educação e conservação.

Aquário de São Paulo fica na cidade de São Paulo, na região do Ipiranga, bem próximo ao metro Santos – Imigrantes. Fácil acesso!

Sao diversas espécies do mundo inteiro, de peixes de água doce e salgada. O aquário está evoluindo e se tornando um zoo. Atualmente eles possuem diversas espécies de mamíferos que estão divididos por localização, num passeio onde andamos de continente em continente.

Clipe com imgs gerais do aquário.

A primeira parte do passeio eh dedicada a animais de sangue frio.  SÃo diversos aquários com peixes de diversos lugares do mundo, anfíbios,  cobras, jacarés e lagartos. Nesta área me chamou mto a atenção peixes como o poraque (Electrophorus electricus), as arraias de água doce e o oceanário dos elasmobrânquios (tubarões e arraias). Uma espécie que precisa ser notada eh o lagarto Monstro de gila (Heloderma suspectum) que eh um dos pouquíssimos lagartos venenosos do mundo.

A área dos mamíferos começa com o Tapajós, um peixe boi (Trichechus manatus)  que foi encontrado ainda filhote sozinho no rio Tapajós. A área dele eh simplesmente fantástica, ele divide o espaço com diversos pirarucus (Arapaima gigas) e tambacus. O tanque pode ser visitado tanto pela vista lateral,  quanto por cima, onde passamos via uma ponte.

Imagens de tapajós, o peixe boi, e da foca!

Ai entramos em contato com diversas espécies de mamíferos, como o tamanduá mirim (Tamandua tetradactyla),  pinipedes,  lontras, raposas voadoras (Pteropus giganteus),  cangurus (Macropus sp) e, ate mesmo dois equidnas (Tachyglossus sp.), um dos poucos mamíferos que se reproduzem via postura de ovos. Importante lembrar que cada um dos animais, em especial os brasileiros, possuem sua história e nenhuma eh la mto feliz e isso,  na minha opinião, eh de extrema importância para conscientização do público quanto os atuais desafios da conservação ambiental.

Os ursos polares (Ursus maritimus) são um show a parte.  Eles possuem uma área respeitável, com amplo espaço e temperatura controlada, o que eh essencial para a espécie, que esta ameacada de extinção.

Um lance legal q deve ser ressaltado eh q o aquário tem parceria com uma instituição chamada “shape of enrichment”,  e promove enriquecimento ambiental para os animais. A importância disso eh tremenda, pq o cativeiro eh uma prisao e caso nao se mantenha a mente ocupada, os animais entram em stress, começam a apresentar problemas psicológicos e psiquiatricos que podem levar a doenças serias.

Acho que falta um pouco de cuidado na hora da educação ambiental. Aos sábados vemos hordas de crianças urrando e batendo nos aquários/ viveiros, e pais não muito preocupados. Entendo que na maioria das vezes os pais e as crianças querem apenas isso, mas sinto falta de material em texto junto aos animais.

Tb devo ressaltar que o trabalho de manutenção (herculeo) eh muito bem feito. Tudo muito limpo, animais saudáveis e staff se movimentando e trabalhando o tempo todo.

Este passeio eh bem caro. O adulto paga 60 reais. Porem acredito que vale muito a pena. Afinal, nao eh todo dia q vemos um peixe boi, lemures e ursos polares.





A importância das coleções de animais no novo milênio

2 06 2015

O Brasil possui diversos aquários e zoológicos, cuja a imensa maioria eh público e isso gera diversas distorções quanto sua função. Como existe uma gigantesca má interpretação sobre a função deste tipo de instituição, vou resumir aqui a importância e a problematica da manutenção da fauna em cativeiro (me foco nisso pq sou vet), como forma de embasar minhas considerações em outros posts. Este é basicamente um post onde vou discorrer sobre o assunto pra rebater eventuais (e comuns) criticas qdo falo de criação de animais, viagens e etc.

Infelizmente a imensa maioria das pessoas que dizem defender os animais são completamente ignorantes sobre o assunto e acabam propagando bobagens. Não é culpa delas. Realmente é muito mais fácil viver no mundo da carochinha e acreditar no que lhe convêm, preferencialmente num mundo com claro “certo e errado”, do que pesquisar, aprender, entender uma conjuntura sócio econômica com diversos atores, onde o certo e o errado se misturam. Por isso, peço paciência com este texto, pq ele é realmente denso.

ave avariada por pedrada de criança chata!

Neste texto eu discorro mto sobre zoos padrão, sobre locais onde existe seriedade. Claro q existe merda de todo tipo. Só q é mto fácil descobrir onde não é sério: se o zoo permite que vc entre no recinto e fique abraçando bicho, o lugar não é sério. Ponto final. E felizmente, esses locais são poucos. O tipo de zoo q vc vai apoiar, é uma escolha estritamente pessoal.

Agora… algo q precisamos parar desde já e antes de tudo é com historinha de gente burra, tipo “ain! eles comercializam animais!”. Os Zoologicos e os CETAS (centros de triagem de animais silvestres) brasileiros estão ABARROTADOS de animais, sejam apreendidos pelo tráfico, seja encontrados adoecidos pelo Brasilzão afora. Especialmente zoos NÃO precisam comercializar animais. Bicho precisando de lugar pra ficar tem a rodo.

O desequilíbrio e o cativeiro

Promovemos, como espécie, diversas coisas horrorosas que influenciam mto a existência de vida no planeta. Pra citar algumas coisas q rolam no país, temos a Mata Atlântica reduzida a uma pequena fração do que já foi, bestialidades ambientais que geram deformações que modificam o ambiente de tal forma que eh imprevisível o que ocorrerá (como a construção desenfreada e sem critério de hidroelétricas), introdução de espécies…

Td isso gera desequilíbrio e mtas vezes o único retorno possível a um equilíbrio é um conjunto vazio. Não existe retorno a uma situação prévia. E o maior problema não é a caça nem o comércio de animais (que são sim GRANDES problemas), mas sim a destruição do meio ambiente,  q impede a vida e a reprodução animal. Afinal de contas: como realocar animais se não temos onde solta-los???

Condições para a vida animal 

Pra haverem animais em um local, são necessários 3 fatores indispensáveis: comida, abrigo e água. E o desmatamento gera distorções em todos estes 3 pontos.

A água eh importante não só para beber, mas tb nas questões de umidade que podem gerar ou nao ambientes seguros para o desenvolvimento dos ovos, por exemplo. Portanto, o q importa é a quantidade ideal de água, não apenas água. O excesso de líquido acaba com o deserto ou com o cerrado, mas a falta dela acaba com a mata tropical.

Da mesma forma, o excesso de água num deserto eh algo totalmente diferente do excesso para a floresta tropical. Sem matas o ciclo de água tb eh afetado. A água evapora na hora “errada”, escorre pro lugar errado, e isso gera inclusive falta de água nas cidades, assunto tão em voga para os paulistanos.

Com alterações no regime hídrico e na quantidade de mata, o alimento desaparece, seja a planta nativa q alimenta as especies que la vivem e evoluiram juntas, seja os consumidores primários, como roedores, e especialmente os consumidores de topo de cadeia, como onças ou furões. Sem agua e sem comida, acontece algo q estamos acompanhando diariamente: predadores de topo de cadeia acabam aparecendo por áreas populadas e desmatadas. Isto ocorre simplesmente pq NAO HÁ COMIDA SUFICIENTE PRA MANTER ESTAS ESPÉCIES NO AMBIENTE.

Você sairia da sua casa pra procurar comida na mata? (espero q não…) Animais da mata, da mesma forma, NÃO querem sair da CASA DELES (a mata) para procurar alimentos!

O terceiro fator para exterminar a fauna eh acabar com o abrigo. Sem a mata, os pássaros não tem local para construir seus ninhos. Nao existem tocos para q os animais se abriguem. Nao existem raizes para que eles construam ninhos, como mtos caes fazem. E os animais entram num stress gigantesco.

Eles evoluiram (e tb nasceram e cresceram) para estarem dentro de uma ambiente onde se sentem seguros. Animais de cerrado estão acostumados com ambientes onde eles veem qquer coisa chegando de longe. Animais de florestas gostam de se sentir seguros dentro de um ambiente onde eles sabem q estão escondidos em tanta informação visual que dificilmente alguem notará ele lá. E trocar o ambiente de cada espécie só gera stress. Mto stress.

Atualmente temos muitos trabalhos de pesquisadores serios q mostram q temos uma grande quantidade de animais silvestres capturados em diversas regioes do país, altamente infestados por diversos parasitas, tanto internos quanto externos, o que demonstra que esses animais estão enfrentando situações muito dificeis.

O principal problema da reintrodução: pq não podemos reintroduzir animais no ambiente natural?

SOMOS 7 BILHOES DE SERES HUMANOS. Nós tomamos todo espaço deste planeta. Encaremos esta realidade.

E sabendo que o humano é o pior de todos os inimigos, como podemos reintroduzir animais no ambiente natural, caso eles tenham contatos positivos com seres humanos? Um exemplo claro: imagine que encontramos um filhote com a mãe morta, ou sozinho. Ai, algum ser humano o pega, o alimenta e cuida dele ate que ele tenha um determinado tamanho, o liberando a própria sorte no local onde foi encontrado. Como este animal reagirá no ambiente, caso encontre outros seres humanos?

Ele não terá o receio e o medo (saudável) que um animal deveria ter. Especialmente se este animal estiver passando fome (o q é MTO PROVAVEL, pq sendo ele um filhote, a mãe não teve tempo de ensina-lo a “forragear”/caçar, a procurar alimentos) ele terá muito menos impedimentos parar procurar seres humanos. E seres humanos nas florestas, em geral, são caçadores. Esta “simpatia” pelos seres humanos, é o q especialistas chama de “imprint”. Clique aqui pra ler mais sobre este hábito na wikipedia.

Uma coisa muito importante que é dita nos meios que resgatam animais em construções de barragens e etc, é q o melhor é qdo o animal vai embora com raiva de vc, por que assim vc sabe que ele continuará evitando contato com seres humanos.

Por outro lado, pensando num contexto de ecologia mais amplo, o ponto principal no nosso cenário de degradação ambiental é que possuímos meio ambiente doente, incapaz de suportar vida animal. Especialmente qdo falamos de Mata Atlântica (mas aqui posso falar de TODOS os ambientes naturais do MUNDO), não temos espaço pra nada. São milhares de “manchas” de mata espalhadas no meio de diversas areas desmatadas, de plantacoes ou pasto, onde os animais de mata se recusam a ir. Os animais ficam literalmente ilhados nessas manchas de mata dentro de um imenso pasto.

Pra se ter ideia do tamanho da área necessária, um felino de gde porte, como uma onça, ocupa áreas de 60-90 km quadrados. Eles necessitam de um suporte, de plantas, consumidores primários, secundários, etc… de uma area mto grande para se sustentarem.

Outro exemplo são cervideos que habitam regiões alagadiças. Com o controle dos alagamentos periódicos para favorecer plantações, ou ainda o alagamento total dessas areas para construcao de hidroelétricas, simplesmente nao temos mais locais que possam receber especimes.

Portanto, se uma area eh habitada por felinos e queremos rehabilitar, introduzir especimes, a primeira coisa q eh imprescindivel eh justamente saber se essa área suporta. Sendo q temos menos de 10% de mata atlântica, completamente desfigurada e separada em manchas… como soltar animais numa area assim? Pra condenar tanto ele quanto os que já estão ali a uma competição por comida?

O contato com doenças

Neste caso vou citar a famosa historia do furão de pé preto. Esta espécie, q estava beira da extinção, eh muito sensivel ao virus da cinomose, doença mto conhecida pelos proprietários de cães. Esta eh uma enfermidade altamente debilitante, gera uma diarreia terrivel e evolui para sintomas no sistema nervoso, que, no caso dos furões, invariavelmente evolui para a morte. E a introdução da cinomose nas populacoes desta espécie de furão foi justamente no contato entre cães e furões.

Agora… e se eu te contar que os pinipedes, as focas, sao altamente sensiveis ao virus da cinomose? E se um animal for “salvo” e reintroduzido, porem hospedando o virus da cinomose? E se eu te contar que os pinipedes muitas vezes vivem em colônias gigantescas? Isso pode gerar “simplesmente” o extermínio de grandes populações, ou ainda a extinção de diversas especies, como quase geraram no caso do furao do pe preto.

Outro exemplo, menos cotado pq anfíbios são animais que a maioria das pessoas simplesmente ignora, eh o mortal fungo Batrachochytrium dendrobatidis. Esta espécie foi introduzida via a espécie de rã Xenopus laevis, que é portador são. Vale ressaltar que os anfibios como um todo estão em declínio e os estudiosos temem que logo tenhamos uma extinção em massa nesta classe, sendo que este fungo tem um papel importante nesta hecatombe, ja que a maioria das espécies não consegue conviver com este fungo.

Dentro deste cenario, a transmissao de doencas que sao benignas pra uns e mortais pra outros, eh uma constante. Tb devemos lembrar que isto já ocorreu com humanos. Durante a colonização da america, os homens brancos trouxeram doenças que dizimaram povos indigenas.

Um cenário sombrio

Neste cenário, o cativeiro eh uma opção extremamente importante, atuando como reserva genética , como “deposito” de animais, como ambiente de PESQUISA quanto a manutenção das espécies animais pq NÃO PROTEGEMOS AQUILO QUE DESCONHECEMOS.

E qdo eu digo “deposito”, nao estou brincando. Eh realmente um deposito pq ao mesmo tempo que nao temos espaço pros animais na natureza, apreende -se uma enorme quantidade de animais que alimentam o tráfico mundial de animais. E as instituições, especialmente as publicas, mas tb as privadas, dificilmente recebem aporte financeiro o suficiente para manutenção de toda estrutura.

A maioria dos especimes debilitados pela captura e pela vida dificil na natureza, convivendo com a pressão humana fortissima. Muitos já com deformidades que impedem o retorno para a natureza. E a questão que não quer calar eh “O QUE FAZER COM ESTES ANIMAIS?”.

As funcoes do zoo – resumo

1- educacao ambiental
2- contato do ser humano com a natureza
3- reserva genetica
4- estudo sobre a biologia das espécies
5- estudo sobre a medicina das especies
6- estudo spbre a reabilitação das especies
7- um ambiente de guarda de animais que não podem ser re-introduzidos

Novamente repito: Obviamente, existem os mais diversos zoos, desde os que vao dopar os animais para que visitantes fiquem abraçando eles, ate aqueles cuja maior parte do trabalho passa completamente despercebido pelos leigos. Qual vc vai apoiar, eh uma escolha sua.

Admitir a complexidade do cenario e debater com profundidade, ou criticar q nem ativista sem cerebro, tb eh uma escolha individual.





Natal – Rio Grande do Norte

2 06 2015

Antes de tudo, sempre gosto de alertar que esta viagem ocorreu em junho de 2015, portanto muita coisa pode mudar de acordo com a temporada ou qquer outra maluquice. Este texto eh apenas um compilado das minhas impressoes.

Natal, capital do Rio Grande do Norte,  eh uma cidade do nordeste brasileiro,  com cerca de 860 mil habitantes (a regiao metropolitana tem cerca de 1,5 milhoes de habitantes e é formado por 10 municipios), uma das mais antigas cidades do país, com mais de 400 anos, fundada justamente no natal de 1599. Esta idade fez a cidade acumular uma riqueza e variedade, que não se reflete tanto na área arquitetônica/artística, como seria de se esperar.

Esta eh uma das cidades mais bem faladas do nordeste brasileiro em relação ao turismo e me fez rever meus conceitos sobre a região nordeste, apesar de continuar com mtas ressalvas. Não conheci mtas pessoas com grandes criticas ao RN, inclusive as questões que sempre são relembradas em relação ao nordeste, como limpeza ou qualidade do atendimento X preço são sempre elogiosas.

POREM, infelizmente temos de conhecer previamente os locais, especialmente os restaurantes, para evitar dores de cabeça, e se basear exclusivamente em reviews, pode ser um tiro no pé, como veremos comparando as minhas opiniões e os reviews. Essa diferença me leva a crer que a qualidade, mesmo sendo boa, varia mto de momento em momento.

Além de tudo isso, Natal é um centro tecnológico no nordeste, sede do Instituto do Cérebro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, que produz muita informação de ponta sobre o funcionamento do sistema nervoso! Sim!!! O Brasil produz info de ponta em neurociência, cardiologia, na luta contra a AIDS, etc etc etc!

Impressões sobre a cidade

A primeira impressão da cidade é o trânsito, que é bem caótico e mistura características de cidade grande e pequena. Cidade grande pq tem horário de pico, vc pode pegar pequenos congestionamentos, especialmente no sentido da cidade para o aeroporto. Cidade pequena por que me parece que muita gente simplesmente ignora boa parte das regras de trânsito. Veículos lentos na esquerda, conversões proibidas, etc etc etc. Por isso, já vá avisado, com paciência e bom humor. Afinal, não é vc que vai mudar esta situação.

E já no caminho do aeroporto pra cidade vc vai notar que as estradas variam do bom ao péssimo. Um trecho excelente, sem muito buraco, que do nada passa pra um trecho alagado, com buracos que podem fazer seu pneu ir embora. Portanto, mantenha a calma em dobro, aprecie as bizarrices do trânsito local, e dirija devagar evitando cair em uma das armadilhas que podem estar te aguardando, escondidas pelos carros da frente.

A segunda coisa q vc vai notar é q Natal tem gatos! Mtos gatos! Por todos os lados! Em qualquer matinho que vc olhe, vc vai encontrar uma infinidade de felinos pedindo um camarãozinho ou caçando alguma coisinha de lá pra cá. E de quebra vc vai notar tb que os felinos refletem tb o gosto do povo por roupas de onça!

E a natureza tambem se reflete nas outras cores da cidade. A cidade é mto verde! O mais legal é que essa natureza não é só da área de preservação que a cidade cerca (o parque das dunas), mas tambem de vegetação tipica do local, algo meio que cerrado, mas mais verde por estar em uma região com chuva (no caso do “inverno”) que ainda domina o espaço metropolitano.

Vale comentar que as definições de “verão/inverno” são um tanto diferentes. Estamos falando de uma região tropicalíssima, ao “lado” do equador, portanto é quente o ano inteiro. O inverno é basicamente a época do ano que mais chove. Porem essas chuvas tem um regime muito claro: ela acaba, se vc aguardar um tempo, a chuva vai parar. Não é que nem a cidade de SP onde a chuva persiste dias e ate semanas, com pouca trégua (sim… estou ciente que SP já deu uma mudada e q esse regime da “garoa” é algo mais antigo).

Normalmente a chuva se concentra no período da manhã, bem de manhãzinha. Por diversas vezes acordei ao redor das 5 da matina com chuvas bem fortes, e depois, as 8 da matina já estava um sol bonito e um céu limpo. Portanto, pode ser que o “verão” seja um período mais propenso ao turismo, e digo isso de forma mto reservada, mas ao mesmo tempo, vc perde a cidade “verde”.

O céu é um show a parte. Invariavelmente possui uma gigantesca quantidade de nuvens que vão se movimentando o dia inteiro, gerando períodos agradabilíssimos de sombra, seguidos de sol intenso, imagens incríveis e, pros amantes dos videos, a possibilidade de fazer time lapses fantásticos.

Movendo essas nuvens, muito, mas muito vento! E é muito bem vindo, por que é extremamente quente, com média anual de 26 graus celsius, chegando a 30 no verão. Ou seja: está sempre quente. Em nenhum dos dias (de pleno inverno natalense) eu consegui dormir sem pelo menos um ventilador.

Saindo do quesito “natureza”, a cidade é bem moderna. Possui uma arquitetura que não se destaca, mas que impressiona quem (como eu) foi pensando que é uma cidade colonial, com uma área histórica extensa, onde a cidade está baseada. Natal é uma cidade mto ampla, ocupa uma área bem espalhada, e o centro histórico se concentra em uma região especifica apenas.

Compras

O único problema q eu vi em tudo em Natal é uma certa falta de noção sobre o que o turista quer comprar. Nós ofereceram desde saia da Índia até chinelos da Indonésia. Sério isso. Eu não fui pro RN pra comprar coisas do sudeste asiático. Quero produtos locais.

Alem disso, tem um problema grave de variedade. A real é que não tem nada de muito diferente, não tem muito artesanato (tb não sei se os brasileiros dão mta atenção pra isso), quando vc encontra esculturinhas e similares, muitas vezes é um lance meio fine art, q ate é legal, mas se vc tem tipo 700 reais pra comprar uma escultura, ai o legal é procurar as galerias de arte, não as lojas de artesanato.

Infelizmente a maior parte dos produtos é industrializado e você terá de procurar bem pra encontrar algo diferenciado. Mas não é impossível e vale a pena! Especialmente nas lojinhas q vc vai encontrando pela estrada, na ida ou vinda das praias, tem mta coisa legal.

santa luzia – redes

Este é O lugar pra comprar redes! Ai descobri que tem até rede “KING SIZE”! A variedade é excelente, os preços são um tanto salgados, mas são equiparáveis a qualidade.

Loja de artesanato do lado do camarões potiguar

Esta é uma das maiores e mais interessantes lojas de artesanato da cidade, sem contar algumas que não comento por serem um tanto complicadas de explicar onde ficam, por estarem no caminho de alguma praia ou coisa semelhante. Aqui vc vai encontrar desde material bem simples, como descanso pra prato e panela, toalhas de mesa, camisetas… até material mais próximo do fine-art.

Uma das peças que mais me chamou a atenção, e que quase enfiei a mão no bolso pra comprar, pq era fantástico demais, foi uma escultura em madeira representando a cadela Baleia, clássico personagem do livro “Vidas Secas”, do alagoano Graciliano Ramos. Pena q custava quase 4 dígitos, e isso interferiria mto nas minhas finanças…

Shopping do artesanato potiguar

Precisa comprar uma pá de coisas pros amigos/familiares? Nem perca tempo! Venha direto pra cá. Em termos de generalidades e preço este é o melhor ponto pra vc conseguir comprar tudo (ou a maior parte), de uma vez, do q vc precisa.

Este lugar é bem complicado, por que a maior parte do que tem é meio tosqueira, camiseta com memes, bobageiras, roupa “eu amo Natal” e coisas do tipo. Porem, procurando dá pra vc encontrar muita coisa interessante. Atenção para as rendas, roupas de praia, bolsas e similares.

Comida

Pra mim comida é essencial. Tanto atendimento quanto a qualidade dos pratos, e isso foi um dos pontos que mais me chateou em outras viagens que fiz pelo nordeste brasileiro. Porém, minha atual passagem por Natal me fez rever tudo que eu sinto por esta parte do país, q é um misto de adorar o povo, a culinária, e odiar o ritmo com q as coisas acontecem e a qualidade do q nos é oferecido em alguns lugares.

Por isso, temos de estar muito espertos pq invariavelmente os atendentes são muito mal treinados. E não é culpa deles. MUITAS vezes eles tentam ser muito solícitos, mas falta TREINAMENTO. Falta alguem ORIENTAR eles a ANOTAR um pedido com atenção, por exemplo, e não sair correndo pra não esquecer.

 imagem de mousse de chocolate meio amargo, ao leite e branco

mousse de 3 chocolates do Camarões Potiguar, pq eu sou uma formiga!

Ou ainda… falta o PROPRIETÁRIO ter a vontade de querer melhorar o atendimento como um diferencial. Por isso, vale a dica: peça uma coisa de cada vez. Se vc mudar de mesa e pedir algo, coisa comum na praia, vai dar nó na cabeça do pessoal. PRIMEIRO mude de mesa, DEPOIS peça algo.

Exatamente por isso, muitas vezes as contas vem erradas. Não apenas por anotarem errado, mas a pressa, a correria, e a má formação das pessoas. Isto ocorre especialmente em bares na beira da praia. Por isso, tenha paciência, relaxe, mas sempre confira tudo! Tb tenha em mente q muitas vezes os atendentes são “freelancers”. Estão fazendo bico. Algumas vezes eles mal sabem como a casa funciona, imagina sobre detalhes dos pratos. É… são os males da terceirização em pleno nordeste.

Se vc tem fluencia (ou alguma familiaridade) com a língua inglesa, vale a pena dar uma checada na tradução do nome dos pratos que os menus possuem. Vc vai encontrar pérolas!

Restaurante Falesias

O Falesias é um tradicional restaurante, na praia do cotovelo. Com uma vista muito bonita, é um dos lugares q vale a pena parar pra tomar alguma coisa e comer com uma vista invejável e um preço razoável.

Existem muitos reviews excelentes sobre o restaurante e eu discordo muito. A comida não passa do razoável. As porções são pequenas, o atendimento é razoável e as vezes o lugar está bem cheio e dá aquele desgosto de enfrentar espera numa segunda visita. Porem, vale muito a pena visitar e julgo ser um dos lugares imprescindíveis.

link pro foursquare – Restaurantes Falesias

Restaurante Camarões Potiguar

Nada de problemático q dissemos aqui nesta matéria se aplica ao Camarões. Este é o melhor restaurante de Natal SEM NENHUMA SOMBRA DE DUVIDA. Ingredientes muito bem escolhidos, uma mistura de culinária local com pratos que são mais “conhecidos” pelo resto do Brasil, um atendimento excelente e um ambiente muito bonito. Não é a toa que em uma semana acabei jantando lá 4 vezes.

Está sempre lotado, e não é por pouca razão. Chegue cedo e não esqueça de pedir um caprese de camarão, q é um creme de queijo, pesto, tomate concassé e camarão, acompanhado por torradas. A melhor entrada que comi!

Bistrô de pipa

O centrinho do complexo de pipa não tem opções imperdíveis, e o bistrô de pipa é um local honesto pra se comer bem, por preço justo, sem arrependimento. O bom é q serve almoço ate mais tarde. Fiquei na praia do Madero mto tempo, acabei aqui e valeu mto a pena!

Av. Baia dos Golfinhos, altura do 1000 – Praia da Pipa – Centro, Tibau do Sul,Rio Grande do Norte 59178 000, Brasil (Centro)

link pro trip advisor – Bistro de pipa

Quintal – tapioca em pipa

Algumas lojas ao lado do bistro de pipa esta localizada esta lojinha de tapioca, que tambem é um excelente lugar. As opções doces são imperdíveis pra quem é formiguinha, como eu!

Av. Baia dos Golfinhos 985 – Praia da Pipa – Centro, Tibau do Sul,Rio Grande do Norte 59178 000, Brasil (Centro)

Link pro trip advisor – Quintal Tapioca

casa da tapioca – praia de Camurupim

Este certamente é um dos pontos altos da viagem. Esta casa de tapioca não tem conversa: não tem tapioca recheada de chocolate, não tem firula, não tem nada. É um ambiente tradicional, com tapioca feita da forma tradicional, num forno tradicional, com construções feitas de forma tradicional, com cafe servido em uma xícara de barro feita de forma tradicional (q é tão charmosa q ate pedem pra q vc nao roube, já q vendem e custa baratinho). Extremamente charmoso, é uma parada de 30-60 minutos que vale muito a pena!

Av. Jose Alceu, 1400 Barra de Tabatinga – RN

link pro trip advisor – Camurupim

Mirante dos golfinhos

Este parece ser um barzinho qualquer, com uma vista absurdamente linda, mas não é só isso não! Além de ver os golfinhos, que são uma das grandes atrações, aproveite para comer uma porção (generosa) de camarão, tomar um suquinho de alguma fruta diferente, ou fuçar num dos itens artesanais que são vendidos por ali.

Mangai

O Mangai é um bom restaurante por kilo, que possui uma variedade incrível de comida, bem feita, e razoavelmente saborosa. Os atendentes trabalham com roupas típicas do nordeste e a parede tem bananas penduradas. O preço é meio alto, mas vale a pena conhecer.

Passeios – fique esperto!

Só tem UM problema (bem grave ao meu ver) ao passear pelas atrações do RN: tem gente q persegue os turistas tentando vender passeio. Quando eu to falando de perseguir, estou falando MUITO SÉRIO. Chegam ao cúmulo de PERSEGUIR o seu veiculo de moto. É algo IMPRESSIONANTE, completamente SURREAL. Isso qdo não cobrem placas e etc. (alias… fica a dica de usar o bom e velho waze, ou algum GPS pra se guiar (mas fique esperto pq as vezes ele te manda pra uns caminhos q precisa de 4×4).

Eu estava com pessoal local, amigos q me levaram pra todos os lugares, e mesmo com o pessoal se identificando como local, dizendo que só iriamos pra praia (o q em 95% das vezes foi completa verdade), os “guias” continuam a perseguição e vão te seguindo. Só desistem qdo vc senta na praia e pede um coco. A situação obviamente piora em alta temporada/feriados/similar.

Este tipo de ação é corroborada por algumas atrações cujos proprietários chegam a fazer preços diferenciados pra quem vai acompanhado de “guia”. Compreendo plenamente a importância sócio-econômica, mas PORRA! TEM Q TER UM MODELO DIFERENTE que não transforme o passeio numa dor de cabeça. Pq é REALMENTE desagradável e as vezes chega a dar briga entre os “guias”. Isto ocorre especialmente em áreas onde tem mta atração, como pipa, genipabu ou maracajaú.

Um problema completamente insolúvel (pq educação é dificil…) é que em momentos de alta temporada é comum que turistas sem noção tragam caixas de som para a areia e obriguem todos a ouvirem o q eles querem. Isto se torna especialmente bizarro quando VARIOS turistas fazem isso, cada um ouvindo um tipo de musica, o que dá um novo sentido ao termo “poluição sonora”.

Pra quem vai de carro, um alerta importante: o carro, mesmo em estacionamento, não é um local seguro. Lembre-se que a maior parte dos estacionamentos estão em área não regulamentada, polícia por lá é algo q não existe e tem mta gente envolvida qdo tem esquema pra ferrar com turista. Tem MTO relato deste tipo de ação pela nossa querida internet. Por isso NUNCA leve nada alem do necessário e nunca deixe nada de valor mesmo q o carro fique em estacionamento pago.

Atenção: em relação aos passeios de buggy:

Quem tem SUV ou um carro do tipo, muitas vezes prefere contratar o serviço de motorista que dirija o carro pra manter o conforto, e tentar se divertir ao inves de dirigir. Nestes casos tome muito cuidado com golpe onde os caras atolam seu carro de propósito, deixam vc tentar tirar o carro e ao “tentarem” desatolar, puxam o carro pra cima ao invés de empurrar pra que o carro atole mais, e ai começam com sacanagem cobrando serviço pra desatolar e bla bla bla.

As atrações

Ponta Negra

Esta praia/bairro é extremamente urbanizada e é impossível não visitar a região, já que mesmo q vc não vá ao morro do careca ou a praia da ponta negra em si, vc VAI no camarões (deveria ganhar pra falar tão bem deste restaurante…), então vc vai estar no bairro da ponta negra.

De uma forma ou de outra… Visite a área, pq esta região é um dos cartões postais da cidade. Tb dê uma caminhada pelo calçadão. Nem vou colocar link nem nada pq aqui é tão lugar comum, tão simples de chegar, q mesmo sem saber nada do lugar vc vai acabar caindo la.

Praia de Camurupim

Camurupim é o nome de um peixe que (acredito) habita a região.

A praia é cerca de recifes, formações rochosas, que ficam parcialmente expostos. Com isso é formada uma praia muito calma, ideal pra criançada se divertir, praticar um snorkelling (vendo quase nada) e relaxar.

Aqui, não esqueça de tomar um café na casa da tapioca, que fecha com chave de ouro o role.

link do trip adivisor – Praia de Camurupim
link pro trip advisor – casa da tapioca Camurupim

O maior cajueiro do mundo

Acho este passeio completamente dispensável a não ser que vc esteja com umas tias muito chatas que não querem fazer nada. Vc paga 8 conto, da um rolê embaixo do cajueiro mutante com um monte de criança e turista tosco, toma um copo de suco de caju q parece dos industrializados e sai com a impressão de q seria mais produtivo ter gasto o dinheiro em crack.

Forte dos reis magos

Tai um lugar divertido e baratinho! Este é uma fortificação militar, antiquissima, parte do patrimônio do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), marco da cidade de Natal, que teve grande importância durante o período da invasão da Holanda no Br, no seculo 17.

O espaço está razoavelmente bem conservado, mesmo por que são grandes paredes de pedra, com vários canhões de metal (poderiam cobrar pra gente dar uns tiros! :D LOL), e possui uma vista bem legal da cidade.

Infelizmente o local não possui guias, não possui informação fixa (talvez pq as placas sofram MTO com a maresia, como vcs poderão notar nas poucas que estão por lá), e isso da uma boa quebrada no quesito cultural e histórico do local, mas ainda assim… é valido perder um tempinho ali.

Na área do estacionamento tem uma boa área de comércio com alguma coisinha interessante, cartões postais, roupas, etc.

Link do trip advisor – Forte dos Reis Magos

Genipabu

O parque turístico de Genipabu é uma praia com um complexo de dunas e uma lagoa, localizado a 20km de Natal. A região tem passeios de buggy, jangada, dromedário, além de outras atrações menores, como o esquibunda na lagoa.

A beleza natural é impressionante. Só fica a dica pro bando de mala dos esquibundas: façam tipo um passaporte da alegria pra criançada e quem quiser descer varias vezes, pq é caro demais!

link do trip advisor – Genipabu

blog Apaixonados por Viagens – Genipabu

Maracajaú

Desta praia partem passeios para os recifes de coral, que se localizam a 7km da costa. Não posso falar muito da região, pq uma das pessoas que estava comigo passou bem mal e tivemos de voltar, porém, tudo leva a crer que o passeio é bem legal!

links do trip advisor – maracajaú

blog – trilhas e aventuras– maracajau

Parque das dunas

O parque das dunas é aquele gigantesco parque que fica no meio de Natal, considerado o segundo maior parque urbano da america latina (perde pra Tijuca) e é considerado patrimônio da UNESCO. Ou seja… é valido dar uma passadinha pra perder meia hora!

Este espaço é excelente para caminhadas com a natureza, possui algumas trilhas e área para crianças.

link do trip advisor – Parque das dunas

 

Praia do cotovelo

Basta vc saber isto aqui sobre a praia do cotovelo:

Praia do cotovelo

Praia do Cotovelo em um dia típico, a partir do restaurante Falésias

Link do trip advisor – praia do cotovelo

 

Complexo de pipa

O complexo de pipa é uma área bem grande q envolve várias praias a atrações, como a praia de pipa propriamente dita, o centrinho de pipa, onde tem um comercio legal e balada, além da praia do madero. Tem muita coisa legal por lá, não da pra resumir num pequeno post, mas nos links vc consegue ampliar bastante!

Guia com diversas infos sobre pipa – http://www.pipa.com.br/
Guia do blog  Viajar pelo Mundo
link do trip advisor – praia de pipa





Phi Phi Island – Uma das pérolas no mar da Tailandia

25 05 2015

Phi Phi é uma dos mais bonitos e interessantes arquipélagos da Tailândia, a ponto de algumas praias terem sido utilizadas para imagens de filmes hollywoodianos. Em koh Phi Phi Leh, área de proteção ambiental, foi gravado o filme “a ilha”, com Leonardo DiCaprio.

A ilha principal se chama Phi Phi Don, possui um formato semelhante a uma borboleta (depois de vc pisar nela e fumar mto crack, vc enxergará claramente isso), sendo q a parte que une as asas é onde fica a maior parte da hospedagem e da cidade.

Para chegar lá

A melhor forma de chegar em koh PhiPhi, ou qquer ilha da Tailândia, é comprar um pacote numa agência de turismo em Bangkok. Tem uma caceteda pelo centro, especialmente em Khao San Road, onde o nosso hotel nos indicou. Não costuma ser um grande problema, mas é bom adquirir as passagens com antecedencia pra garantir que vc não irá ter problemas, especialmente se tiver hospedagem marcada ou outros compromissos.

Nestes pacotes geralmente estão inclusos ticket de onibus que vai te levar pra um dos portos de onde saem embarcações para as ilhas, seja koh Phangan, Phi Phi, Samui… O mesmo trajeto pode ser feito via trem, mas eu não fiz então não tenho muita ideia. Embarcações para Phi Phi partem de Phucket e de Krabi, entre outros (poucos) destinos.

Pra pegar o busão não tem erro, é so chegar no horário e fazer o check in, isso vai estar bem explicado. A questão maior é quanto vc desembarca no local onde rola a baldeação para o barco.

Nisso começa um problema chato. Especialmente qdo vc chega de noite, não tem NADA de informação. Eles te soltam durante a madrugada num estacionamento, obviamente no final dele é onde ocorre o embarque, mas… fodam-se vcs. Vai ficar esperando o embarque sem informação e se reclamar vai ficar mais confuso ainda.

A real é q não tem segredo. Aproveite a espera, coma alguma coisa nas lojas de conveniência, e relaxe um pouco. Leia, ouça musica… sei la. Vc vai ver a movimentação maluca pra fazer o check in e é basicamente isto q vc precisa. E nao precisa cada um fazer o seu check in, va um so com todos os comprovantes dos amiguinhos e faça sozinho. Relaxe e so fique esperto na movimentação do q importa: o lugar do check in e o lugar do embarque propriamente dito.

Depois do check in, existem duas opções, é legal vc saber de antemão como vai rolar pra estar preparado:

– Vão chamar todo mundo, pq é tipo uma linha de barcos q vai pingando de ilha em ilha.

– Vão chamar pelo horário do barco, q vai direto pro lugar.

A primeira opção vão dar pras pessoas uns adesivos coloridos de acordo com o destino. Em geral é um barco absurdamente gigante com capacidade pra centenas de pessoas. Neste caso, ao embarcar já veja com a tripulação se tem sala vip, onde vc paga um valorzinho a mais e vai numa poltrona legal, numa área onde o barco não pula mto, com tv, e espaço pra vc tirar um cochilo do bom.

Se for embarque por horário, pode dar merda caso alguem atrase. Fiquei esperando tipo umas 3 horas, pq pela falta de comunicação, não nos levaram pro lugar correto, atrasamos e tivemos de esperar tipo um barco extra pra ir pra la. Nisto recomendo q vc não aceite apenas a palavra de um dos “guias”. Va conversando com todos, pq em alguns lugares a desorganização é DOSE. Ao mesmo tempo, pode ser q cada um te de uma opção, ai vc vai ficar confuso. Hehe!

Pelo atraso, foram umas 3 horas a mais. Ia saindo barco lotado sem lugar pra nossa turma e a gente precisava esperar. E não adianta reclamar, ameaçar, dizer q é advogado… eles cagam pra vc. E se vc estiver com isso em mente e aceitar seu destino mais suavemente, irá ser melhor.

A ilha 

A primeira coisa q notei é q o que mais tem nessa ilha é gringo que trabalha parte do período para continuar sua estadia. E existem diversas opções. Se vc é dive master, se vc tem qquer tipo de caracteristica diferencial, até mesmo se vc fala PORTUGUES (tem brasileiro e português pra cacete por lá), vc consegue descolar um empreguinho de meio perioso.

A segunda coisa q vc vai notar é isto aqui:

long tail boat em maya bay

Foto cliche de um dos lugares mais fantásticos do mundo!

Ou seja: relax. vc está numa das ilhas mais fantasticas do mundo.

Uma coisa q é bom pra uns, mas é péssimo para outros é q a ilha ta praticamente uma Ibiza. A noite rola balada ate altas horas da madrugada com direito td q vc estiver afim. Na minha opinião isso é bem triste por que a ilha tem mto mais jeito pra um resort paradisiaco com natureza abundante, do que um espaço pra hippie vagabundo pirar nas drogas ou molecada europeia descobrir o mundo (q é basicamente o q acontece la, mtos jovens querendo mta balada).

Ok o cara pirar nas dorgas, problema dele. SO QUE NÃO FICA JOGANDO VIDRO NA PRAIA, PORRA. Tem muito vidro pelas praias. MUITO. Tanto q eu desisti de recolher. Felizmente a areia lá é bem grossa e acaba dando rapidamente uma boa lixada nas faces cortantes e não rolam mtos acidentes. Não descuide do chinelo e divirta-se!

Muito vidro na areia de Koh Phi Phi

A inteligencia humana tem limites. A estupidez NÃO. Cuidado com os pés em Koh Phi Phi Don.

A vantagem é q vc consegue sim sair desta região (Loh Dalum bay e Ton Sai bay) q concentra brutalmente as festas e é onde provavelmente as pessoas ficarão hospedadas em sua maioria (pq a hospedagem fora deste espaço tende a ser cara. REALMENTE cara.). E a melhor parte está justamente fora deste centro. Tanto em hospedagem quanto em maravilhas naturais.

Com a ajuda de um taxi boat, q não é la muito caro, vc tem acesso as outras praias mais “remotas” que da um trampo pra vc chegar de outra forma. Se vc quiser voltar, é mto simples. Vá ate a praia e pegue um barco de volta! Porem rola um probleminha importante: vc tem q sair ANTES de chegar a maré baixa, pq nesse momento começa a dar trabalho de arrumar um taxi, pq tem q ser um q esteja mais ou menos disponivel numa área navegavel.

O q eu fazia, e funcionava mto bem, era descer em uma praia, ia andando pela trilha que liga as praias, o que te dá acesso a toda cidade. E na volta eu simplesmente seguia as placas que levam a Ton Sai Bay. O “problema” é q de loh lanna pra ton say bay a parada é meio fechada, a mata é meio complicada, mas nada q te deixe mto triste. So faça a trilha num horario com luz, pq tem porções ingremes e vc pode ter dificuldades no escuro.

Trilha que liga Ton say bay e Loh Lanna bay,

Para chegar em Ton Sai bay é so seguir a trilha!

Comida

Prepare-se para comer mal.não MUITO mal, mas aqui não tem NADA de muito interessante. Como a prevalencia de gringos é MUITO grande, tenta-se oferecer alimentos mais proximos dos que os “westerns” curtem. Isso significa q vc vai ver muito mais “barbecue” e “pizza”. Mas isso não é bom. A qualidade do trigo é péssima em toda a extensão do país, o que se reflete na qualidade do alimento final. Nao é podre, que vai te deixar doente, nem nada. So fica longe do que vai agradar ao paladar.

A base geral da alimentação no oriente é ARROZ. A base proteica da alimentação no oriente é pato e frango. Obviamente, a produção do trigo, laticionios e da carne bovina ficam um tanto prejudicadas. Sem contar que uma pizza ou um churrasco é mais caro do que um bom pad thai. Se é só pra matar a fome, manda ver em qquer coisa. Se é vc faz questão q seja minimamente aprasivel ao paladar, restrinja-se a pratos locais. Isto vale para todo o oriente, mas é especialmente verdade aqui.

Outra questão importante é quanto a hidratação. Eu particularmente consumia shakes de fruta direto. Obviamente o uso de água não tratada pode te trazer coisinhas desagradaveis como vermes e colera, mas… eu assumi o risco. A real é q é bem dificil vc avaliar se rola manipulação da comida com minimo de higiene, pq lá o movimento é bem grande e por isso o pessoal ja deixa tudo no jeito pra preparar os shakes. Se vc levar um cloro e aplicar na sua bebida, é bom, mas… não garanto nada.

Fauna e Flora

Pra quem gosta de animais e curtem aquarismo, isto aqui é um paraíso. Nas praias é possível ver mtos peixes e outros seres vivos que vivem na área rochosa, bem como fazer um snorkeling sem compromisso. Da pra ver MUITAS espécies diferentes, tanto de peixes qto invertebrados.

Já na área de mergulho scuba e snorkeling propriamente dito, vc verá as mais diversas espécies que povoam o imaginário dos aquaristas, como Zanclus cornutus ou o cobiçado Ballistoides conspicillum (espécie q infelizmente n vi). Existem MUITOS points espalhados pelo arquipelago e não conheci nenhum q seja de menor “qualidade”. Vale comentar que os passeios para snorkeling geralmente incluem mascara e snorkell, porem poucos fornecem pés de pato.

Outro mergulho mto legal é o shark point, onde vc irá ver algum tubarão, dos pequenos aos grandes, mas normalmente animais com menos de 1,5 m. Neste ponto, os pacotes prometem avistar pelo menos um tubarão. Um ponto importante é q o mergulho ocorre apenas de maio a outubro, pq as correntes na área se tornam perigosas.

Pro pessoal que busca um passeio de nivel maior, existe a possibilidade de tentar a sorte pra encontrar um whale shark ou raia manta. A 65 km de phi phi, existe um ponto chamado Hin Daeng e Hin Muang, onde ocorrem muitos avistamentos de ambas espécies. Porém, 65km de speed boat é algo meio complicado, então o mar e o tempo tem de estar bem estável, e as vezes o passeio contratado pode ser cancelado no ultimo minuto.

Fora isso… tem a ilha dos macacos, q é bizarra, é um monte de macaco que rouba comida de todo mundo, com pessoas sem noção comendo e alimentando os animais. Bom pra passar raiva da falta de noção.

Passeios

Koh Phi Phi Leh – Maya bay – Um dos points q PRECISAM ser vistos. Um dos pontos únicos do mundo. tanto em relevo quanto em paisagem. Esta é a segundo maior ilha do arquipelago, localizada a 1,5km de koh phi phi don.

Nesta praia foi gravado o filme “a Ilha” com Leonardo diCaprio, o que gerou modificações na ilha que geraram danos permanentes para a natureza. Todo este espaço faz parte de um parque nacional. Qdo vc desembarca na praia, deve pagar uma taxa de conservação da area, q mantem banheiros e área de camping, q me parece q não podem mais serem utilizadas.

Antigamente era permitido um numero de acampamentos para  aqueles que querem curtir mais o espaço. Queria mto ter feito, pra ter uma longa exposição da praia com um ceu estrelado ou algo do tipo, mas fui informado que não é mais possível. Porém… verifique a possibilidade! Vai que…

Esta praia LOTA. Lota tipo balada fervente em SP. Por isso recomendo fortemente que se feche um barco que saia bem cedo (os “private” são bem flexíveis qto horário) acorde MTO cedo, tipo 6 da matina, e chegue antes das 7 lá. Só assim vc terá UM POUCO de paz neste lugar. Após as 9:30 começa a ficar MTO cheio.

Conhecendo a ilha a pé/de taxi boat – Reserve pelo menos dois dias para conhecer todas as praias da ilha. Não são muitas, as principais vc vai ver de longe, mas tem mtas q vc so vai descobrir perguntando pros locais como chegar. Ai vale uma conversa onde vc estiver hospedado ou uma boa memorização qdo vc estiver passeando em volta da ilha, pra lembrar do local, descreve-lo e conseguir orientação pra chegar la.

Durante o passeio pela estrada asfaltada vc irá encontrar diversos caminhos para mirantes, mas sempre obedeça uma regra principal: nunca suba durante o final da tarde. Pegar uma trilha ingrime no escuro é uma merda e caso vc tenha q pegar tb a trilha pra ton sai bay, é recomendavel q vc encontre algum lugar para passar a noite.

Vc irá encontrar alguns poucos pequenos bares e mercados em alguns pontos da caminhada, por isso leve uma garrafa de água, um pouquinho de comida, não precisa de nada pesado, e não se preocupe mto.

Os resorts tb merecem serem conhecidos, mesmo q de passagem.

View Point – Sim, é uma merda subir tudo aquilo a pé. Da mo trampo, é BEM ingrime, cansa. MAS EM COMPENSAÇÃO, a vista do por do sol é impressionante e IMPERDÍVEL.

Passeio de barco pela região – Existem DIVERSOS passeios de barco, private ou em grupos que pode circular pela região de Phi Phi don, e toda região do parque nacional e ir ate mais longe, caso seja combinado. O que eu recomendo é juntar um grupinho de umas 5-10 pessoas, q tenha afinidade, fechem um barco por um dia e saia por ai sem compromisso. Ai vcs entram e saem de cada lugar de acordo com sua vontade, fazem snorkelling o qto vcs quiserem, vão pra onde quiserem e bundam o quanto quiserem.

Só tenham em mente que existem as lanchas e existem os barquinhos “long tail”. Pra um grupo do tamanho q sugeri, um long tail é lento (ok… ele é lento normalmente, ate com uma so pessoa dentro), e é relativamente instavel. Por isso uma lancha pode trazer mais segurança, mais conforto, e mais tranquilidade, bem como uma geladeira cheia de liquidos.

Nas minhas frescuras de segurança, é ok ir de long tail de um lado pro outro da ilha, de uma baia ate a outra, porem é melhor evitar long tails em viagens mais longas. Não acho legal nem ir ate Phi Phi leh neles.





Angkor – Siem Reap – Camboja

22 05 2015

Angkor é uma área que abriga uma grande quantidade de FANTASTICOS templos religiosos, hindu e budista, construidos entre 900 e 1200 DC, na área da atual cidade de Siem Reap pelo povo da cultura Khmer.

O acesso é bem simples a partir de onibus ou avião. Um trajeto bem interessante eh entrar no Camboja pelo Vietnã, de onibus, a partir da cidade de Ho Chi Minh, antiga Saigon. Embarque para Phnom Penh, a capital do pais, passe alguns dias lá e siga para Siem Reap, de onibus ou avião. E de Siem Reap vc consegue voos para qualquer área do sudeste asiatico.

Quando digo que é FANTASTICO, não estou de brincadeira. No caso da minha viagem, passei o “holiday in Cambodia”, mais especificamente o natal, e já estava a mais de 10 dias no oriente. Havia passado por MUITOS templos. MUITOS. Todos lindos, majestosos e gigantescos, deixando o templo de salomão no chinelo… ok… o templo de salomão não é uma estrutura arquitetônica digna de nota… Mas é tudo muito grande, muito bem feito, com muito esmero e um bom gosto indiscutivel. E os templos de angkor mostraram que tudo pode atingir um novo patamar. Não é a toa que é um patrimônio da UNESCO.

 

Entrada do Angkor Wat

Acreditem! Esta vazio. Fica muito mais cheio.

Aviso tambem que devido a grandiosidade do local, é importante reservar um bom tempo para visitar o essencial(que vai estar MTO lotado) e conseguir conhecer outros espaços menos pop, mas igualmente interessantes. Angkor Wat, por exemplo, dificilmente está tranquilo. Mas não da pra deixar de visitar o maior templo do mundo.

Ficar menos de 5 dias é se restringir a conhecer apenas o básico do passeio. Aqui é muito diferente de Machu Pichu, por exemplo, tanto em tamanho quanto em tempo gasto (mas não em quantidade de pessoas). Insisto nessa parte pq eu gosto mto de filmar e fotografar e eu QUERO imagens boas do local, e alem da multidão atrapalhar minhas fotos… EU ODEIO MULTIDÕES. Mas a grandiosidade dos templos mais “pop” tira completamente o incomodo que a multidão traz. O que quero dizer é q não da pra deixar de visitar tudo, so que alguns templos menores vão te trazer uma experiencia completamente diferente.

A Cidade – Siem Reap

Vou dizer a verdade: não tenho muita ideia do que é a cidade, por que minha estadia foi muito rapida. Fui para os passeios e voltavamos para a cidade apenas para jantar e dormir. Portanto so tenho um bom ponto pra alertar: Aceitam dolar americano em qualquer local.

Os templos

Aqui vou citar os templos “básicos”, onde vai ter gente pra cacete, etc, mas são imperdíveis. A primeira informação importante é saber que pra entrar na área dos templos tem uma taxa, são vendidos tickets pra 1, 3 ou mais dias, o seu meio de transporte vai parar la pra vc regularizar sua situação, ai vc pode seguir caminho.

Para um melhor passeio, recomendo chegar bem cedo. Assim vc evita as hordas de turistas bizorrando. Claro que vc e eu não somos os únicos a seguir esta idéia genial, e vai ter muita gente q pensou exatamente assim, porém ainda assim vc terá mais conforto, e quando as hordas chegarem, vc estará um pouco a frente deles, irá acabar antes, e poderá almoçar um pouco antes… assim vc poderá chegar no proximo templo enquanto as hordas estão almoçando e assim suscessivamente.

Uma recomendação é pegar um tuk tuk de confiança e fechar o dia e ele te leva pra onde vc quiser, o que normalmente são 2 ou 3 atrações por dia. Feche o preço antes e pague somente no final do dia, pra evitar surpresas desagradáveis. No nosso caso pagavamos cerca de 50 dolares por dia, um valor meio “alto”, mas eramos 3 pessoas e a gente gostou mto do motorista, q tinha cerca de 15 anos e era mto gente boa, extremamente educado e mereceu o agrado (q ca entre nos não é mto dinheiro pra gente).

A arquitetura básica dos templos

Os templos são construidos em pedra, normalmente laterita, arenito, ou uma mistura deles, onde são feitas gravuras de baixo relevo com muita precisão, muitas vezes citando passagens mitologicas e mandalas, que representam o universo hindu. E em alguns templos essas gravuras foram trocadas de uma divindade para outra, de uma religião pra outra, a gosto do rei vigente.

Outros materiais tambem eram utilizados na construção, porem não sobreviveram ao tempo.

As portas muitas vezes possuem grandes pedimentos que também são locais de escolha pra colocar grandes adornos e representações de passagens mitologicas. E não são apenas nagas e garudas, como muitas vezes vemos em templos de outras regiões. Vale ficar atento.

Os templos possuem uma forma de construção muito interessante. O santuario propriamente dito, chamado por eles de “prasat”, são compostos de 5 niveis, onde o nivel imediatamente superior é o nivel inferior com tamanho reduzido, sendo q o ultimo nivel muitas vezes é a representação de uma flor de lótus.

Os espaços dos templos são organizados como uma montanha, com a região central reservada para o monte Meru, que dentro da mitologia oriental é um monte com 5 picos que representa o centro do mundo fisico e metafisico. Da mesma forma, quase todos os templos e santuarios tem suas portas principais para o leste, assim a luz do sol ilumina logo de manhã.

E como todo templo no oriente, é importante não cometer gafes. garanta que suas vestimentas são adequadas, sempre cobrindo os joelhos e ombros muito bem, não tire a camiseta (pra eles isso é praticamente andar pelado) e se divirta.

Os templos imperdíveis

Angkor Thom/Bayon

A cidade Angkor Thom foi capital do império Khmer, adornado com muitos e misteriosos rostos estampando torres de pedra, tem como centro o templo Bayon. De quem são essas faces? Budah? Brahma? Shiva? Ninguem tem certeza. Aparentemente existem 3 tipos de faces, um homem, uma pessoa com traços femininos e uma pessoa com uma coroa, e atualmente se propõem que essas faces tem a ver com o budismo Vajrayana, escola que teve muita influencia no rei da época da construção do templo.

Este foi um dos lugares onde diversas imagens de buda foram modificadas para referencias hinduistas.

O local vem sendo cuidado e restaurado por equipes que tentam utilizar tecnicas “originais”, como era feito na época, para manter ao máximo a originalidade do local. Existem diversas controvérsias sobre o assunto, ja que locais como Ta Prohm está sendo restaurado e para muitos o charme era justamente manter  tudo em ruinas.

Um dos pontos levados em consideração é a pressão e o desgaste que o turismo causa nessas áreas. são cerca de 2 milhões de visitantes anualmente, em visitas concentradas em poucos sitios. De uma forma ou de outra, o espaço é impressionante, em ruinas ou não.

Angkor Wat

Este é o maior templo. Acho que as imagens podem falar por mim.

Ta Prohm

Este é o templo mais famoso no ocidente por que foi utilizado como locação para o filme “Tomb Raider”. Eu não assisti, mas so pelas vista do local, o resultado pode ser visto no clipe (de uns poucos segundos) abaixo.

(não sei se tem mais, mas cansei de procurar no Youtube!

Este é um dos templo ainda mantido parcialmente em ruínas e isso da um ar muitissimo interessante ao local, tipo um ar de explorar um local completamente novo.

O que não fazer?

So fizemos um passeio que foi péssimo, na minha opinião, que foi a visita a cidade flutuante. Apesar do video aqui exposto, eu achei o lugar péssimo, toda parada visa te sensibilizar pra deixar algumas dezenas de dolares para alguma coisa de caridade que parece muito mais ser um golpe. Não recomendo.

A única compra válida!

Por último… recomendo a todos os visitantes deste complexo, que compre um bom guia do local. Eu encontrei no aeroporto o “Focusing on the Angkor Temples: the guidebook”, de Michel Petrotchenko. Considero um guia definitivo (não q eu tenha feito um levantamento bibliográfico) e traz muita informação q acrescenta quanto a viagem, especialmente qto a natureza e significado das inscrições nos muros das construções.

isbn – 978-616-361-118-5





Ha Long Bay – Vietnam

20 05 2015

Ha Long Bay (“onde o dragão entra no mar”) é  uma região próxima a Hanoi, onde as questões de topografia/geologia se mostram mais incríveis. Como o terreno se formou muito recentemente, as montanhas calcareas MUITO ingrimes e rochosas pulam aqui como se fossem lanças. E pela importância tanto na beleza, quanto na biodiversidade, esta baia foi declarada patrimonio mundial da UNESCO. Nada mais justo.

Vale comentar tambem que a área é extremamente estratégica para o Vietnam, a ponto de ser um ponto de grande interesse durante a guerra contra os EUA. E não é dificil de ver pq, já que a grande quantidade de montanhas geram muita defesa e dificulta uma batalha maritma.

A baia pode ser visitada em cruzeiros q variam de duração. O barco vai pingando de lugar em lugar, e basicamente temos passeios em praias, cavernas, remadas por áreas interessantes, bem como avistamento de animais.

Contratamos um cruzeiro aqui no Brasil, com ajuda do trip advisor e saimos do país com tudo pago e pronto. Escolha bem o barco pq vc pode contratar um com estrutura bem porcaria.

Uma van nos pegou no hotel, em Hanoi, e nos levou ate o porto em Ha Long Bay, numa viagem demorada por causa dos limites de velocidade, não pela distância. Esta parte foi legal pra dar uma relaxada e ver pela janela do carro a rotina do povo. Nosso guia tb conversou mto com a gente tanto sobre a historia recente e antiga do Vietnam, quanto sobre questões sociais dos pescadores (um interesse meu, como podem ver em outros posts aqui mesmo).

Um lance muito interessante por lá, é q os pescadores moram literalmente no mar , nos barcos, onde eles possuem toda estrutura de uma pequena casa. São barcos pequenos, com 4 ou 5 metros de comprimento por 3 de largura, com uma área coberta e toda uma estrutura para organizar a vida no mar, como estrutura para levantar lonas e locals onde ficam guardados os utensilios, comida, roupas, etc.

Durante a navagação é comum ver pequenos barcos com familias inteiras e com o cair da noite, com alguma sorte podemos acompanhar a familia desmontando a estrutura de pesca e preparando a estrutura pra cozinhar ou dormir.

Chegando no porto, o embarque é fácil e rápido. Normalmente vc vai pra um barco de transfer, faz um passeio curto para dar aquela desestressada, ai sim embarca no barco onde vc irá passar as noites e etc.

As atrações são um tanto padronizadas e vc não tem um poder muito grande pra determinar coisas diferentes do básico. Em geral, no passeio de 3 dias, vc vai visitar coconut island, fazer 2 ou 3 passeios com caiaque, subir em algum bom mirante pra ver o por do sol e, pra finalizar, visitar uma caverna.

A parte que mais me interessou nos passeios foram caminhadas em regiões arenosas, e rasas, após um pouco de remo. La tive contato com diversas espécies de corais em ambiente natural. Pros aquaristas, este deve ser um momento especial!

Esta região não tem mto o que falar, mas muito o que ver.

O único passeio q eu achei meio dispensável, especificamente por causa do excesso brutal de turistas, foi a Wonder Cave. Legal é, mas qdo tem mta gente se acotovelando a coisa se torna meio mala. Porem, dependendo do horário é uma boa pedida.

Pra mim este foi um dos pontos altos E um dos pontos baixos da viagem. E já explico o porque: vacilei com minha bagagem e sumiram 100 dolares. Portanto: dinheiro? Na pochete, junto de vc. SEMPRE. E como temos sempre td muito programado, não da pra sair atras, chamar policia e o cacete a 4, acabei amarrado por isso.





Hanoi – capital do Vietnã

18 05 2015

Hanoi eh a capital do Vietnã,  a porta de entrada pro pais comunista q mais povoou a cinematografia americana nos anos 70. Com uma extensão que faz fronteira com a China, Laos e Camboja, é um país de geografia única.

Algumas áreas extremamente montanhosas, grandes planícies, td geologicamente recente, com alguns milhões de anos, o que resulta em montanhas altas, ingrimes, rochosas, que dão um visual único.

vista de Trang An

Trang an é uma das áreas imperdíveis no Vietnam!

Uma das coisas mais legais q vc pode ver, no avião, são as montanhas, pela manhã, com uma nevoa de vapor d’agua subindo lentamente. Isto complica muito a prática da fotografia durante o verão, onde as vezes o vapor se condensa em elementos das objetivas, especialmente nas proximidades do litoral, onde ainda existe vegetação abundante.

Com um transito CAOTICO, dominado por pequenas motos e scooters, deve-se tomar muito cuidado. Mas não é tão dificil quanto parece, é só não dar passo para trás. Vá sempre para frente que o trânsito se encarrega de se desviar.

Primeiros passos

Um dos pontos mais importantes antes de qquer coisa, é saber que o mais seguro é sair do Brasil com seu visto ok. Isso vai evitar que vc tenha um monte de chatices e possibilidades de cair em golpe. Basicamente vc irá enviar seu passaporte via correio para Brasília, com comprovante de pagamento das taxas, reservas de sua hospedagem, e eles irão te devolver via sedex ou sedex-10. Sim. Pode dar merda. A segunda opção é vc ir até o consulado e fazer tudo pessoalmente.

As instruções e etc podem ser encontradas no site do consulado do Vietnã no Br, deem uma googlada! E fiquem muito espertos, por que estas rápidas orientações que estou passando, foi o que fiz em 2014. As regras podem mudar.

Chegando lá

O desembarque foi um tanto demorado, mas foi suave. Esperava muito mais dor de cabeça. Apenas as filas que se formam quando ocorrem muitos desembarques internacionais simultaneos.

Existem muitos relatos de golpes e problemas com taxis, os hóteis possuem serviço de transfer. É so chegar no país, entrar em contato com o hotel e em algum tempo eles chegam lá.

Um lance que vai deixar os viajantes um pouco mais felizes é que, apesar da lingua vietnamita, eles utilizam o alfabeto romano/latino, o que facilita a localização com ajuda das placas, mesmo com o fato da população não dominar tão bem o ingles.

O ponto mais estranho, é q o hotel vai insistir pra que você deixe o seu passaporte no cofre deles, na recepção. Acabamos aceitando qdo percebemos que é um procedimento comum.

Arquitetura

o que mais me chamou a atenção no Vietnã foi a arquitetura, que é extremamente diferenciada do resto do mundo. Não me refiro a grandes edificações ou marcos, mas sim as construções onde as pessoas vivem. Especialmente no norte do país, os terrenos são relativamente curtos, com 4-5 metros de frente e fundos, com mais de 2 andares. Já no sul, os terrenos são mais largos de frente, num esquema q estamos mais acostumados, mais “ocidentalizado”.

Afastando-se do centro, é muito comum ver a agricultura e criação de aves (mais especificamente patos) entremeada entre as edificações. Num esquema tipo “comercio, casa, casa, comercio, plantação de arroz, casa, comercio, criação de patos…” ocorre uma integração entre todas as esferas produtivas.

Compras

Especificamente a cidade de Hanoi é uma excelente opção para compras especificamente de roupas. Na região do centro da cidade existe uma infinidade de lojas de diversas marcas, da Doc Martens a Vans, vendendo produtos a preços quase tão bons quanto os dos EUA.

Comida

Como toda a indochina, o vietnã tem comida farta e barata. Da pra comer em qualquer local que tenha bastante gente. Porem, aqui tenho uma recomendação mais interessante: o cafe Cau Go. Tem uma vista fantastica do lago Hoan Kiem. Em termos de comida, gastamos cerca de 25 dolares por pessoa, fomos muito bem servidos, a comida estava excelente. Tanto, que voltamos mais 3 vezes lá.

Vista do lago Ho Kiem

Vista do lago Ho kiem a partir do cafe cau go.

Massagem 

A massagem aqui é fantástica. Uma das pessoas que estava comigo na viagem estava com um problema bem sério de esporão no calcaneo, uma situação bem chata e dolorida. Inicialmente ele achava q a dor era por causa de bolhas, mas mesmo depois de tratadas, a dor persistia. Nisso conversando com o pessoal, alguem recomendou q ele fosse numa massagem pelo menos 3 vezes. E isto deu uma boa aliviada no problema, o que inclusive melhorou o humor dele durante o resto da viagem.

Após longas caminhadas, se de o luxo de gastar um dinheirinho e um tempo numa massagem. é relativamente mais caro do que em outros paises do sudeste asiatico, mas ainda assim… vale muito a pena.

Passeios

Algo que é muito interessante no Vietnã é a organização do turismo. Os hotéis possuem livros com MUITAS opções de passeios. Isto traz vantagens e desvantagens, já que os passeios nesse esquema são no esquema “dar uma olhadela e vamos pra próxima”. Alguns locais não são facilmente visitáveis sem este esquema, pois se localizam fora da cidade.

No caso da minha viagem, acabei curtindo mto mais a cidade, zanzando pelo centro, pelo french quarter, onde ficam diversos prédios governamentais. Esta parte de city tour é bem tranquilo, é muito mais fácil vc c informar com o hotel. Mas nao deixe de visitar a estatua de Lenin, o mausoleu de Ho Chi Minh, a prisão de Hoa lo, etc.

Bike pelo centro da cidade – na boa. eu acho o trânsito excessivamente caotico. Não tive coragem.

Trang an 

Está é uma das mais bonitas paisagens do Vietnam! Localizado proximo ao delta do Red river, a topografia “nova” mostra muito o que é o país, com aclives praticamente verticais e uma densa floresta, tanto fora da água, quanto dentro, o que é um atrativo a mais pros amantes das plantas aquaticas, como eu.

O complexo de rios e cavernas é visitado via pequenos barcos que vao navegando lentamente pelo rio, num passeio de aproximadamente 2 horas.

Este local é considerado patrimonio da UNESCO, possui muitas evidencias antiquissimas de presença humana. Imperdivel

Bai Dinh temple

Este é um dos pontos preferidos de toda minha viagem! Este templo é simplesmente fantastico. Inicialmente descemos a uma certa distancia do complexo propriamente dito. Paga-se a taxa, embarca-se em um carro eletrico que leva ate a entrada.

A partir dai começa a subida admirando milhares de pequenas estatuas douradas de buda e estatuas gigantes que me aparentam ser representantes dos diversos passos para se tornar “iluminado”.

Depois de mtos degraus, vc chega a um pequeno pagoda com um enorme sino e uma visão muito bonita de toda região. Subindo mais alguns muitos degraus, chega a pavilhões, que ostentam pura beleza. O tamanho de cada estatua de Buda, das deusas e etc, impressionam. Como não pude fazer imagens, deem uma olhada no trip advisor, onde tem uma pequena seleção que da pra vc sentir o drama.

Ba dihn temple

Esta foi a única forma q consegui tirar uma imagem de uma reliquia dentro dos pavilhões de Bai

A parte TRISTE é q a melhor parte da viagem, q é no interior dos pagodas, não é permitido fazer imagens. Os q fotografam com cels conseguem burlar as regras, mas com uma camera grande, com objetivas penduradas e filmando, não consegui nenhuma lembrança pra mostrar pra vcs.








Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 262 outros seguidores